Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

A homossexualidade opõe-se à vontade de Deus, diz o Papa

As declarações inéditas de Bento XVI sobre a aceitação do uso de preservativo em casos “isolados justificados” marcaram o fim-de-semana em toda a imprensa mundial.

No entanto, a publicação do livro-entrevista esta terça-feira veio revelar que o Sumo Pontífice afinal recupera o discurso de que a homossexualidade é contranatura.

O jornal Le Monde resume a posição do Papa n’“A Luz do Mundo”, no qual este encara a homossexualidade como “injusta“, “algo que se opõe à vontade de Deus, e inconciliável com a vocação de padre”.  "Na qualidade de seres humanos, [os homossexuais] merecem o respeito (...) e não devem ser rejeitados por esse motivo. O respeito pelo ser humano é absolutamente fundamental e decisivo", afirma Bento XVI. "Mas isso não significa que a homossexualidade seja justa por essa razão. Continua a ser algo que se opõe à própria essência daquilo que Deus quis na origem", apressa-se a explicitar.  O chefe máximo da Igreja Católica reconhece ainda que, no seio da Igreja existem sacerdotes homossexuais, pedindo-lhes que não o manifestem abertamente. Segundo um estudo espanhol, mais de 60% dos sacerdotes não cumprem celibato e mantêm relações sexuais, independentemente da sua orientação sexual.

As palavras de Bento XVI já suscitaram a condenação de associações de defesa dos direitos das pessoas LGBT em Espanha e Itália, entre outros países.

18 comentários

Comentar

Pág. 1/2