Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Beijos entre homens heterossexuais cada vez mais comuns

Um estudo publicado pela revista “Archives of Sexual Behaviour” e conduzido por Eric  Anderson, um sociólogo na Universidade de Bath em Inglaterra, chegou à conclusão que os beijos trocados entre pessoas do mesmo sexo é agora a norma nas universidades britânicas.

Esta tendência reflecte uma mudança em direcção a um ideal da masculinidade mais “agradável e suave”. Anderson declarou que “o macho man, vil, rude e homofóbico dos anos 80 está morto.”

Este estudo foi baseado em entrevistas realizadas em 145 universidades e escolas secundárias britânicas e revela que 89% dos inquiridos já tinha beijado um amigo heterossexual. Todos os homens que participaram nesta entrevista declararam ser heterossexuais e não viam o beijo como um acto sexual. Anderson declarou “estes rapazes não são homofóbicos e já não temem ser classificados como gays pelo seu comportamento. Simplesmente, apreciam uma amizade num nível como vemos nas mulheres.” Dos inquiridos que não tinham beijado um colega do mesmo sexo, todos declararam ser uma prática aceitável.

O sociólogo declarou que esta tendência disparou nos últimos anos, tendo começado nos campos de futebol, quando os jogadores se beijam depois de marcar um golo. Este acto fez com que fosse aceitável para os rapazes também se beijarem nos seus jogos na universidade ou liceu. Depois os jogadores levaram esta prática para fora dos relvados.

Contrariamente aos estereótipos machos, os participantes deste estudo declararam que beijavam os seus amigos puramente por afecto e comparavam o acto a um amigável aperto de mãos.

Estes beijos acabam muitas vezes nas páginas de redes sociais como o Facebook, no entanto, quando isto acontece os participantes não se sentem envergonhados nem ninguém questiona a sua sexualidade. Por outro lado, também não estão a gozar o comportamento gay, declarou Anderson, acrescentando que de facto isto fez com que seja mais fácil para os casais gays demonstrarem afecto em público, “abriu um espaço para que os homossexuais se possam beijar livremente. Agora quando dois homens se beijam em público as pessoas não presumem imediatamente que são gays.”

No entanto, esta crescente aceitação de beijos entre pessoas do mesmo sexo não significa que a homofobia acabou, mas sim que os ideais masculinos estão a mudar. No seu livro intitulado “Inclusive Masculinity: The Changing Nature of Masculinities”, Eric Anderson afirma que quando a homofobia é visível os homens evitam serem vistos como gays. No entanto, quando a homofobia se esbate, descontraem-se e exploram comportamentos diferentes do masculino tradicional. Anderson conclui que a “diminuição da homofobia também tem efeitos positivos nos heterossexuais.”

Lúcia Vieira