Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Associação CASA diz que há “lamaçal obscuro” entre a Marcha do Orgulho e o Porto Pride

Cartaz da Marcha Porto 2010

 

A data de 9 de Julho de 2011 foi marcada para a realização da 6ª Marcha do Orgulho do Porto (MOP) e da festa Porto Pride.  No entanto, os eventos estão envolvidos numa polémica vinda agora a público pela associação CASA - Centro Avançado de Sexualidades e Afectos.

Num comunicado de quatro páginas, a que o dezanove teve acesso, a CASA acusa a comissão organizadora da Marcha do Porto de falta de “existência legal e que exibe uma total desorganização a nível de funcionamento”.

A CASA, que participou na Marcha do Orgulho LGBT no Porto em 2010, refere ter dado então como sugestão incluir a bares na organização da mesma, e esta ter sido liminarmente recusada com o argumento desta ser uma “cedência aos interesses capitalistas”. No entanto, como existem na referida comissão organizadora estruturas empresariais com fins lucrativos, a CASA sustenta que “não se pode ser, como é óbvio, em simultâneo, organizador da MOP e do Porto Pride”. Recorde-se que a festa Porto Pride é organizada pelo site PortugalGay.pt e pelo Bar Boys r Us, naquela que é a mais antiga comemoração do Orgulho LGBT no Porto. A festa tem vindo a realizar-se nos últimos anos no Teatro Sá da Bandeira e implica o pagamento de uma entrada.

A associação presidida por Manuel Damas diz que os membros da CASA que participaram nas reuniões da comissão organizadora em 2010 foram alvo de “diversos insultos, verbais e escritos, de tentativas de pressão e de chantagem assim como de ameaças de agressão física, inclusive por escrito”.

Mas as acusações vão mais longe e põem em causa a parte financeira da Marcha do Porto. “Foram pedidos donativos a empresas comerciais, supostamente para financiar a MOP que, depois, eram depositados numa conta bancária individual e só daí eram transferidos para a conta bancária da MOP, sem qualquer tipo de transparência ou possibilidade de controlo dos montantes recebidos. À MOP apenas eram fornecidos os comprovativos das transferências finais.”

Lucros do Porto Pride vão para “um empresário em nome individual”

A CASA aponta o dedo ao facto de a Marcha e do Porto Pride, “festa organizada e cujos lucros revertem para um empresário em nome individual” terem a mesma data e defende que “os dois eventos têm que ser separados pela asfixia que causa à visibilidade política da Marcha” e pela “promiscuidade nebulosa que gera em termos de angariação de donativos” porque como explica a CASA, “uma parte daqueles que participam no Porto Pride fazem-no como forma de ajudarem financeiramente a MOP não sabendo […] que apenas estão a contribuir para o bem-estar financeiro de um empresário em nome individual”. E não fica por aqui, a associação aponta o dedo à organização da MOP por não “tentar esclarecer publicamente esta questão”. Por último, segundo a CASA, o “facto do Porto Pride oferecer a uma qualquer entidade, um donativo menor, apenas um ano após a realização da festa levanta diversas questões nebulosas às quais a MOP é, indevidamente associada” e relembra que “o Porto Pride anunciou, durante o evento [de 2010 no Teatro Sá da Bandeira], sem que as entradas tivessem terminado, que o donativo a dar em 2011 seria menor, o que levantou diversas questões e dúvidas relativamente à forma como a questão financeira estaria a ser gerida”

A associação portuense acrescenta que tentou participar nas reuniões da comissão organizadora da edição de 2011 da MOP, mas agora recusa-se a “pactuar com o lamaçal obscuro“. 

Em 2010 a CASA e o bar Pride organizaram uma outra festa, o Love Pride, no Teatro Sá da Bandeira. A primeira edição deste evento decorreu uma semana antes do Porto Pride.

 

89 comentários

Comentar

Pág. 1/4