Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Governo britânico prepara-se para mudar posição sobre dadores de sangue homossexuais. Em Portugal assunto está adormecido

A ministra da saúde britânica, Anne Milton, declarou na Câmara dos Comuns que as doações de sangue por parte de homossexuais estavam a ser reconsideradas.

Neste momento, gays e bissexuais estão proibidos de doar sangue devido a receio de contaminação do sangue com VIH. Várias vozes afirmam que esta é uma medida homofóbica e baseada em estereótipos.

A questão surgiu quando um membro do Partido Conservador declarou que o Banco Nacional de Sangue estava "desesperado por novos dadores", ao que Anne Milton respondeu: "Compreendo que tem havido alguma preocupação e que algumas destas regras são obsoletas, em breve faremos um anúncio relativamente a este assunto."

O Comité Consultivo para a Segurança do Sangue, Tecidos e Órgãos começou em 2009 um estudo sobre esta proibição e espera-se que os resultados sejam apresentados em breve. Entretanto, o governo de David Cameron publicou um documento relativamente a políticas LGBT em que o assunto estava omisso, mas o primeiro-ministro já declarou estar contra a proibição.

Em Setembro do ano passado, o grupo gay conservador LGBTory anunciou que iria começar uma campanha para acabar com a proibição de doação de sangue. Matthew Sephton, presidente do grupo, disse: "A proibição arbitrária de doar sangue a homens que têm sexo com outros homens é completamente obsoleta e deveria ser revogada. A medida que deveria ser posta em acção para a substituir ainda tem de ser estudada com base em evidências médicas, mas é um o facto que [esta medida] ainda existe apenas baseada na discriminação."

Em Portugal, a polémica em torno da questão da doação de sangue por homossexuais estalou no último Verão, à que se seguiu, já este ano, a substituição de Gabriel Olim do IPS. No entanto, o assunto parece ter ficado em hibernação para as autoridades competentes.

 

Lúcia Vieira/Paulo Monteiro

 

 

7 comentários

Comentar