Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Síria: blogger lésbica Amina Abdallah Arraf raptada (actualizada)

A autora do blog A gay girl in Damascus (tradução livre “Uma lésbica em Damasco”) e crítica do regime sírio, foi raptada esta segunda-feira por três homens armados. A blogger, que tem dupla nacionalidade (síria e norte-americana), tornou-se famosa devido às suas opiniões frontais sobre a revolta na Síria. Além disto, o factor de ser lésbica num país conservador terá sido a razão foi deste sequestro.

A autora, que escrevia sob o pseudónimo Amina Abdallah, atraiu leitores em todo o mundo por descrever a situação de repressão que se vive no seu país. O sequestro foi relatado no blog pela sua prima, Rania Ismail: “A Amina foi levada por três homens com idades que rondam os 20 anos. De acordo com uma testemunha (que não quer revelar a sua identidade), estes homens estavam armados. A Amina bateu num deles e disse à amiga com quem se encontrava para ir chamar o seu pai. Um dos homens colocou a mão sobre a boca de Amina e empurrou-a para o carro que tinha um autocolante de Basel Assad.” Basel Assad era o irmão do presidente Bashar al-Assad e estava a ser preparado para ocupar o seu lugar, até que faleceu num acidente de carro em 1994.

A família de Amina está preocupada com este sequestro e não sabe se ela se encontra na prisão ou se está detida noutro local em Damasco. No blog pode ler-se: “Não sabemos quem a levou, por isso não sabemos a quem pedir para a libertar. É possível que a deportem. De outros familiares que já estiveram presos, acreditamos que ela seja libertada em breve. Se a quisessem matar, já o teriam feito.” Logo após ter sido conhecido o rapto, surgiram vários apelos no Facebook e uma petição online pedindo a sua libertação. 

ACTUALIZAÇÃO: Quatro dias depois da divulgação da notícia, soube-se que na verdade o autor do blogue era um norte-americano, a viver na Escócia, que se apresenta como activista dos direitos humanos no Médio Oriente

 

1 comentário

Comentar