Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Post Hit e Chicks on Speed no Arraial Pride

Arraial Pride Sábado, 26 de Junho, Terreiro do Paço em Lisboa Este ano, a mais antiga festa LGBT portuguesa, organizada pela associação ILGA Portugal desde 1997, volta ao Terreiro do Paço. O tema desta 14ª edição não podia deixar de ser o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Existirá, pela primeira vez, um espaço chamado Gay Village, onde vão decorrer casamentos gay simbólicos. E pela segunda vez poderemos ainda assistir (e participar) aos Queer Games.

No palco principal, às 20h30 actuam os Plastic Poney, seguidos de Betty (L-Word) e do espectáculo de transformismo com  Jenny Larrue & Kina Karvel, Patrícia Russell, Renata Montoya. Às 23h será a vez dos Post Hit, enquanto à meia-noite sobem ao palco as Chicks on Speed. Os momentos de djing estão a cargo de Lara Soft, Nuno Galopim, Rui Murka.

A Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa decorrerá no sábado anterior, a 19 de Junho, começando no Jardim do Príncipe Real às 17h.

 

 

Porto Pride Sábado, 10 de Jullho, no Porto Desde 2001 a cidade Invicta recebe a maior festa LGBT do Norte do país para todos os gays, lésbicas, bissexuais, trans e heterossexuais descomplexados. Este ano não é excepção e com bons motivos para comemorar. Teatro Sá da Bandeira, 22h00-8h00 Rua de Sá da Bandeira, 108 Entrada: 10€ (oferta da primeira bebida) A 5ª edição da Marcha do Orgulho LGBT do Porto decorrerá nesta mesma tarde nas artérias da cidade. (actualizada a 23 de Maio)

Allove: All you need is a Festival in Algarve

Entre 8 a 10 mil visitantes por dia são as previsões da organização do Allove Festival, o primeiro festival gay e lésbico do Algarve, que irá decorrer a 14 e 15 de Maio em Lagoa.


O habitual recinto da Fatacil, irá receber uma espécie de feira popular onde a oferta é bem variada: casa assombrada, touro mecânico, um "pavilhão das artes", zona turística (cerca de 20 hotéis apresentarão propostas gay-friendly), uma área  red light com direito a sex shops, piercings e tatuagens, stands de tarólogos, sexólogos, leitores de búzios e de mãos, uma feira de stocks, bares temáticos, uma área gourmet e ainda bastante animação protagonizada por DJs e nomes sonantes do transformismo português. Porém, o momento mais controverso promete ser a realização simbólica de casamentos entre pessoas do mesmo sexo, com direito a bolo, limousine, hotel para as núpcias e tudo aquilo que está habitualmente reservado aos casais heteros. O primeiro festival gay e lésbico do Algarve promete ser o maior do país e lança o convite também a todos os heterossexuais.


Clica aqui para visitar o site oficial do evento.


Entradas: de 15€ a 35€

Gaiola das Loucas até 28 de Junho

Se ainda não foste ver a Gaiola das Loucas só tens cerca de dois meses para não te arrependeres. Depois do êxito no Porto, La Féria fez chegar a Lisboa a versão portuguesa de La Cage aux Folles, o famoso musical da Broadway que foi adaptado ao cinema. Quando se menciona versão portuguesa, trata-se mesmo de versão portuguesa, porque a história parisiense foi adaptada à realidade nacional. A acção, por exemplo, passa-se em Cascais, e é uma homenagem aos travestis portugueses que, nos anos 80, aí popularizaram o espectáculo Cabaretíssimo. Filipe La Féria soube de forma hábil, cómica e inteligente trazer à cena a temática dos preconceitos contra homossexuais e travestis. Há ainda há lugar para uma pitada de humor político, os supostos bons costumes e para a rivalidade Norte-Sul tudo ao jeito de La Féria. No centro do enredo Armando del Carlo e Carlos Alberto, amantes e proprietários de uma discoteca em Cascais, A Gaiola das Loucas, onde Carlos Alberto (José Raposo numa brilhante interpretação) é o mais prestigiado transformista português: o ponto de partida para um serão ou uma matiné bem passados.

 

Teatro Politeama

Rua das Portas de Santo Antão, 109

Terça a Sábado  21h30; Sábado e Domingo às 17h00.

Adaptação e encenação de Filipe La Féria, com José Raposo, Carlos Quintas, Rita Ribeiro, Joel Branco, Helena Rocha, Hugo Rendas e Alexandre Falcão, entre outros.

Valor: de 15€ a 35€

A primeira pessoa do género neutro

Nasceu há 48 anos no Reino Unido como homem mas nunca se sentiu do género masculino. A partir dos 28 anos submeteu-se a cirurgias de mudança de sexo e a tratamentos hormonais, mas desistiu depois de se perceber que o seu papel tão pouco seria feminino. A viver desde os 7 anos na Austrália, Norrie May-Welby conseguiu que um tribunal o reconhecesse como a primeira pessoa sem género definido, após vários exames médicos que não conseguiram apurar qual seria realmente o seu género. Norrie assume agora a classificação de neutro.

David Bowie no topo da lista

 

 

Boy George, Rufus Wainwright, Cyndi Lauper e Perez Hilton foram alguns dos artistas que participaram na elaboração da lista dos 100 álbuns mais gays de sempre, a pedido da revista Out.

A liderar o ranking surge o álbum de David Bowie, The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars, de 1972, onde se encontram músicas como Ziggy Stardust, Suffragette City, Lady Stardust ou Moonage Daydream. Boy George explica o porquê do primeiro lugar: “Na altura, quando os tabus sociais e sexuais estavam a ser quebrados, Bowie, enquanto Ziggy criou um mundo onde as possibilidades eram ilimitadas. Podias ser quem quisesses.”

No top 10 não aparecem os ABBA nem Donna Summer, mas há espaço para Madonna.

 

1. David Bowie, The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars, 1972

2. The Smiths, The Smiths, 1984

3. Tracy Chapman, Tracy Chapman, 1988

4. Indigo Girls, Indigo Girls, 1989

5. Judy Garland, Judy at Carnegie Hall, 1961

6. The Smiths, The Queen is Dead, 1986

7. Elton John, Goodbye Yellow Brick Road, 1973

8. Madonna, The Immaculate Collection, 1990

9. Cyndi Lauper, She's So Unusual, 1983

10. Antony and the Johnsons, I Am A Bird Now, 2005

 

Já segues o dezanove no Facebook?

É este o próximo Thriller? (vídeo)

A comparação é do jornal britânico The Guardian que escreveu que Telephone, o novo vídeo de Lady Gaga arrisca-se a ser o sucessor de Thriller, de Michael Jackson. Com uma linguagem próxima dos filmes de Quentin Tarantino o vídeo de quase dez minutos é protagonizado por Gaga e por Beyoncé. Em quatro dias de alojamento no YouTube ultrapassou as 15 milhões de visitas. Agora vai nos 26 milhões de visualizações.




Senador, republicano, gay e no armário. Até agora

Durante os 14 anos, enquanto senador do Estado da Califórnia, rejeitou qualquer medida que alargasse os direitos dos cidadãos homossexuais. Votou contra a proposta de criação de um dia que homenageasse o activista Harvey Milk ou contra o reconhecimento de casamentos entre pessoas do mesmo sexo realizados fora da Califórnia. Este é o ponto de partida da história que envolve o republicano Roy Ashburn, de 55 anos e pais de quatro filhos que no passado dia 3 de Março foi detido em Sacramento por conduzir alcoolizado. Na altura começaram a circular rumores de que teria estado antes da detenção num bar gay daquela cidade. Aos microfones da rádio KERN acabou por assumir a sua orientação sexual: “Sou gay… Estas são as palavras que para mim forma tão difíceis durante muito tempo.” O senador, que não irá recandidatar-se, referiu ainda que votaram contra propostas favoráveis à comunidade gay por reflectir a posição dos eleitores que tinham votado nele.

Longe, decide o tribunal

Pela primeira vez um tribunal espanhol decretou uma ordem de afastamento pelo crime de agressão homofóbica. Os factos remontam a 2004 quando um grupo de menores de 16 e 18 anos perseguiram e insultaram um jovem que vivia no mesmo bairro em Sabadell, arredores de Barcelona. Depois dos incidentes, o jovem acabou por deixar a localidade. Os elementos do grupo ficam obrigados a manter uma distância de mais de 300 metros da casa da vítima e ficam impedidos de manter qualquer tipo de contacto do denunciante. A sentença foi conhecida a 16 de Março.

Ellen DeGeneres - personalidade do ano

A revista norte-americana Out divulgou hoje a lista com os nomes das 50 personalidades assumidamente gays que mais se destacaram em 2009. A apresentadora e comediante Ellen DeGeneres figura em primeiro lugar. Recorde-se que DeGeneres substituiu recentemente Paula Abdul no júri do programa American Idol. A actriz e apresentadora, que conta com 12 prémios Emmy, é uma acérrima defensora dos direitos das pessoas LGBT.

Destaque ainda para o estilista e realizador Tom Ford que subiu da 38ª para a 13ª posição, não escapando ao facto do filme "Um Homem Singular" tem sido alvo das melhores críticas no ano transacto.

A lista completa encontra-se aqui.

Recluso britânico impedido de aceder a pornografia gay

John O’Reilly, recluso na cadeia de Dovegate, Staffordshire (Inglaterra), denunciou que os guardas prisionais o impedem de consultar revistas com pornografia gay. O’Reilly acusa a cadeia britânica de ter uma conduta homófobica, dado que os reclusos heterosexuais podem aceder a pornografia hetero. Dovegate é gerida pela empresa privada Serco, que assegura uma concessão do governo britânico.

Vaticano relaciona pedofilia e homossexualidade

O secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, disse ontem que os casos de pedofilia que envolvem a igreja não estão relacionados com o celibato, mas sim com a homossexualidade. “Muitos psicólogos e muitos psiquiatras mostraram que não existe relação entre o celibato e a pedofilia, mas muitos mostraram, como me disseram recentemente, que há uma relação entre homossexualidade e pedofilia.” O número dois da hierarquia do Vaticano definiu a pedofilia como uma patologia que "toca todas as categorias de pessoas e, proporcionalmente, em menor medida, os sacerdotes”. As afirmações foram proferidas no dia em que o Vaticano disponibilizou um guia online para que a comunidade católica lide com o problema da pedofilia.

Angola: Alerta para discriminação nas escolas



O Jornal de Angola, o principal diário daquele país, alerta para os problemas que os alunos homossexuais enfrentam em ambiente escolar. O jornal parte do caso de Vinicius Cosmo, 18 anos, que relembra que os professores faziam piadas sobre a forma como agia e que a homossexualidade era vista nas escolas como um desvio de comportamento. “Eu precisava de aceitar a minha condição, sem medo. Mas a discriminação levou-me a esconder o meu modo de ser e tive um bloqueio. Adoeci e precisei de tratamento médico”, conta Vinicius Castro. “Por mais que o professor tenha uma convicção religiosa, tenha a sua fé, aquilo que pensa no privado não pode interferir na sua vida pública. E o educador tem que ter essa responsabilidade, até porque o nosso Estado é laico e todos devem ser respeitados”, disse ao jornal Leila Araújo, coordenadora executiva do Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos.

Beijo argentino (vídeo)

No último Sábado, a telenovela de maior audiência da Argentina, Botineras, mostrou um beijo entre as personagens Cristian Sancho e Ezequiel Castaño. A cena, pioneira no panorama das telenovelas argentinas, foi exibida pelo canal Telefe, o de maior audiência naquele país.


O dezanove tem a cena mais procurada do momento aqui:


PS e BE querem simplificar mudança de género

Até aqui, quando um cidadão muda de sexo, para conseguir oficializar nos seus documentos a sua nova identidade, precisa de uma autorização de um juiz para conseguir efectivar o novo género.  Segundo o Expresso, Miguel Vale de Almeida e Diogo Cordeiro, eleitos pelas listas do PS, propuseram uma alteração à lei. Desta forma, quando um cidadão se submete a uma operação de mudança de sexo, seria automaticamente autorizada a mudança no seu bilhete de identidade. O texto dos deputados socialistas foi já apresentado ao líder da bancada, Francisco Assis. Já antes tinha sido tornado público que o Bloco de Esquerda estava a preparar uma iniciativa idêntica.