Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Guimarães noc noc mostrou trabalho artístico queer (com vídeo)

A iniciativa Guimarães noc noc invadiu na cidade berço no passado fim-de-semana. O ambiente da cidade mudou de forma acentuada visto que habitantes estavam ocupados em mostrar as suas criações ou albergavam instalações nas suas próprias casas.  

Pedro Castro, fotógrafo queer, foi um das várias dezenas de artistas que participou nesta mostra artística informal e confessou ao dezanove que antes do evento estava  “um bocado ansioso quanto a recepção que as suas imagens podiam ter, porque tinha a certeza que iam ser incómodas e ao mesmo tempo emocionais para espectadores”.

“O noc noc foi uma mostra de trabalho artístico livre de censura ou qualquer tipo de selecção. Permitiu a todos os artistas uma total liberdade sobre a forma e o conteúdo do que queriam apresentar”, disse o fotógrafo agora radicado em Berlim.

No âmbito do evento Pedro Castro produziu um vídeo resumo da sua obra, usando imagens em que os protagonistas são os seus amigos, e dois postais. As obras puderam ser vistas no centro da cidade minhota. O fotógrafo descreve o vídeo como sendo “uma combinação de sexualidade e cores cruas misturado com uma falta de respeito total pelas regras de fotografia. O que significa que as fotos correspondem a um olhar intimo, caótico” e mais natural dos indivíduos. Com o vídeo Pedro Castro pretende documentar e recrear uma existência mais abrangente e livre de preconceitos na vida real. A frequência de som, 528 MHz, também é conhecida como a vibração regeneradora do ADN, que além de criar uma reacção emocional imediata no espectador, tem a propriedade de reparar o tecido genético estimulando a cura ao nível emocional, mental e físico entre outros.

Em 2012, ano em que a cidade vai ser Capital Europeia da Cultura, o Guimarães noc noc faz questão de voltar. Mas isto não significa que até lá os artistas vão estar parados. Devido ao sucesso desta iniciativa, onde qualquer pessoa podia abrir a porta de sua casa, atelier ou associação, criaram-se laços e diferentes pontes de criatividade que deverão surtir efeito.

 

 

Imagens de Pedro Castro

 

Já segues o dezanove no Facebook?