Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

“Fui electrocutado e torturado”, diz jovem gay vítima de terapia de reconversão (vídeo)

Um jovem norte-americano deu o seu testemunho ao site Im From Drift Wood que ao longo de quatro meses recolheu 50 histórias de coming out de pessoas LGBT oriundas de vários estados dos EUA. Samuel Brinton falou dos abusos que sofreu por parte do pais e do horror da terapia de conversão, mas no fim deixa uma mensagem de esperança: “não se pode mudar aquilo que não se escolhe!”

 

O testemunho começa por falar do momento em que, aos 12 anos, Samuel revela ao pai, um fanático missionário da Igreja Baptista, que se sentia mais atraído por um amigo do que pelas modelos da revista Playboy que alguém tinha feito entrar na base missionária, no estado do Iowa, onde viviam. A partir da daí começou aquilo que veio a revelar-se um “mês de inferno”. Aquando da revelação foi espancado pelo pai. Depois, em simultâneo com imagens que mostravam imagens de sexo entre homens, viu as partes do corpo serem queimadas ou expostas a temperaturas negativas, enfiaram-lhe agulhas debaixo das unhas e sofreu choques eléctricos.

No mesmo relato o jovem explica em casa lhe diziam que ele era portador de VIH ou era o único gay que existia e que se o governo descobrisse a sua orientação sexual iria assassiná-lo. Samuel esteve seis vezes nas urgências do hospital devido às torturas e as “desculpas” dadas invocavam “quedas nas escadas”.

No vídeo Samuel confidenciou que pensou em suicidar-se atirando-se de um prédio de três andares. A mãe, ao tentar dissuadi-lo da ideia, disse que se ele “mudasse” ela voltaria a amá-lo. Samuel teve de fingir que era heterossexual até entrar na universidade para obter a aceitação dos pais e o fim das torturas. Contudo, quando ingressou no ensino superior decidiu contar a verdade. Nesse momento ao tentar regressar a casa encontrou as suas coisas na rua e o pai com uma arma.

Depois de toda a descrição Samuel Brinton, que actualmente tem 23 anos e é estudante de Engenharia Nuclear no MIT (Massachussets Institute of Technology), diz que está disposto a aceitar as desculpas dos pais, dos quais se desconhecem mais informações.

 

2 comentários

Comentar