Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Uma história francesa bem familiar (com vídeo)

A segunda e última longa-metragem realizada por Alfred Lot estreou na última quinta-feira em Portugal. "Uma Pequena Zona de Turbulência" ("Une Petite Zone de Turbulences") é de 2009 e teve estreia em França em Janeiro de 2010, chega a nós com dois anos de atraso e apenas numa única sala em todo o país: no cinema Zon Lusomundo Amoreiras (Lisboa).

Este "Uma Pequena Zona de Turbulência" conta-nos a história de Jean-Pierre Muret (Michel Blanc) que chegado à idade da reforma tem a vida virada do avesso, para além da sua hipocondria, descobre que a sua mulher, Anne (Miou-Miou) o trai com um seu ex-colega de trabalho; que a sua filha, Cathie (Mélanie Doutey), divorciada, decide casar com Philippe (Gilles Lellouche), o último homem que ele queria para genro, e que está prestes a conhecer o namorado do seu filho, Mathieu (Cyril Descours), cuja homossexualidade ele não aceita de modo algum. Quando julga que nada pode piorar, descobre que tem um eczema numular que, mesmo que todos à sua volta tentem desdramatizar, está convicto que o arrastará a uma morte lenta e dolorosa.

Adaptação, enredo e diálogos da responsabilidade do próprio Michel Blanc a partir do romance "Um Pequeno Inconveniente" do britânico Mark Haddon, esta comédia junta o que há de melhor do humor inglês e francês. Uma crítica bem disposta à sociedade e à família típica cheios de conservadorismos retrógrados. Se gostam deste tipo de filme, apressem-se a ir vê-lo, pois deve desaparecer num ápice.

 

Luís Veríssimo