Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Whitney Houston: uma vida de prémios e de causas (com vídeo no Pride de 1999)

A cantora norte-americana foi encontrada sem vida num quarto de hotel em Beverly Hills este Sábado.

Na sua carreira de cantora de rhythm & blues (R&B), arrecadou centenas de prémios, onde se incluem dois Emmys, seis Grammys e 22 Prémios Americanos da Música (AMA). Os seus trabalhos alcançaram a marca dos 200 milhões de álbuns vendidos.

Ocupou o primeiro lugar do top norte-americano de música por 11 vezes. “"I Will Always Love You" é single mais vendido na história de uma artista feminina. A banda sonora de “O Guarda-Costas” é a mais vendida de um filme de sempre. 27 anos de carreira concederam-lhe o título de “A Voz” colocando-a a par de nomes como Frank Sinatra, Aretha Franklin (de quem era afilhada) ou Stevie Wonder.

 

Whitney foi uma defensora de causas. Focou a sua intervenção nos mais desprotegidos e comunidade negra, mas não ficou por aí. No seu tempo de modelo recusou trabalhar para agências com negócios na África do Sul, devido ao apartheid. Nos anos 80 Whitney, a par de Michael Jackson, quebrou definitivamente as barreiras de exibição de artistas negros no canal MTV americano. Até aí as exibições de artistas negros eram apenas consideradas "suficientes".

Em 1989 criou a Fundação Whitney Houston for Children vocacionada para crianças com VIH e cancro. E em 1991 doou as vendas de um milhão de singles de “The Star Spangled Banner" à cruz Vermelha  norte-americana. Nesse mesmo ano fez um show de beneficência em prol das vítimas da Guerra do Golfo.

A cantora esteve uma vez em Portugal para um concerto no Estádio de Alvalade. Corria o ano de 1998 e ficou célebre o seu lapso por afirmar que estava em Espanha.

No ano seguinte foi convidada a actuar no Gay Pride de Nova Iorque. "It's Not Right But It's Okay", rapidamente se tornou num hino a par de muitas outras canções que fazem parte das playlists de muitos bares temáticos LGBT.

 

 

À semelhança de outras figuras públicas famosas também Whitney Houston viu a sua vida privada alvo de rumores no que concerne à sua orientação sexual. Em 2007 divorciou-se de Bobby Brown de quem teve uma filha, Bobbi Kristina. Alguns anos antes a cantora tinha sido associada a um triângulo amoroso com as actrizes Jodie Foster e Kelly McGillis, esta última a eterna loira de Top Gun. Ambas as actrizes revelaram, em diferentes momentos, serem lésbicas.

Em 2002 a cantora reconheceu ter problemas de toxicodependência. Numa entrevista ao canal ABC afirmou consumir drogas, “a sua maior inimiga”.

O ano passado durante a cerimónia dos Grammy Awards 2011, Lady Gaga disse que escreveu a canção "Born This Way" a pensar na voz da Whitney. Este Domingo Whitney seria uma das convidadas da 54ª edição dos Grammy.

A página oficial da cantora no Facebook deixou de ser actualizada na sexta-feira. Milhares de fãs de todo o planeta têm deixado as suas mensagens de condolências no mural da diva.

 

Há vinte anos deu cartas pela primeira vez num filme como actriz para interpretar uma cantora alvo de perseguição e cuja protecção estava a cargo do actor Kevin Costner. Na tela mostraram-se as fragilidades a que a vida dos famosos pode estar sujeita, mas foi sempre salva pel’“O guarda-costas”. Na vida real morreu sozinha aos 48 anos de causa ainda desconhecida.

 

Já segues o dezanove no Facebook?