Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Uma visão LGBT dos Óscares: “Assim é o Amor”, Zachary Quinto, Madonna e Glenn Close

Não foram só "O Artista" ("The Artist", 2011, Michel Hazanavicius) e "A Invenção de Hugo" ("Hugo", 2011, Martin Scorsese) que saíram vitoriosos destes Óscares, com cinco estatuetas cada, houve mais vencedores.

 

Foi com um filme mediano que o veterano Christopher Plummer recebeu finalmente o Óscar, que há muito lhe escapava, apesar de esta ter sido apenas a sua segunda nomeação. O actor de 82 anos, mais novo que o próprio Óscar apenas dois anos, foi o actor mais velho a receber um Óscar. Plummer venceu o prémios de Melhor Actor Secundário pelo papel no filme "Assim É o Amor" ("Beginners", 2010). Realizado por Mike Mills, e inspirado na sua própria vida, uma comédia dramática que mostra como na vida e no amor nunca é tarde para um (re)começo.

 

As vidas de Oliver (Ewan McGregor) e do seu pai Hal (Christopher Plummer) alteram-se radicalmente quando o segundo, seis meses depois de ter ficado viúvo, assume duas coisas totalmente inesperadas: que é homossexual e que se encontra num estado avançado de uma doença terminal. Com esta inevitabilidade, Hal começa a viver intensamente o tempo que lhe resta, encontrando disponibilidade para viver um grande amor com um homem mais novo, Andy (Goran Visnjic), reformular a sua relação com o filho e, acima de tudo, tenta encontrar a serenidade interior que nunca havia antes encontrado. Após a morte inevitável de Hal, Oliver conhece Anna (Mélanie Laurent), compreendendo, finalmente, o verdadeiro significado do amor. Assim, compreenderá todo o alcance dos ensinamentos que o pai lhe tentou transmitir nos últimos meses de vida.

 

 

O 'nosso' Zachary Quinto também esteve presente na 84.ª cerimónia dos Óscares. O actor surpreendeu-nos em 2011 ao sair do armário. Quinto faz parte do vasto elenco do filme "O Dia Antes do Fim" ("Margin Call", 2011), de J.C. Chandor. O filme estava nomeado na categoria de Melhor Argumento Original. No filme, o jovem analista Peter Sullivan (Quinto) revela informações que poderão originar o fim da empresa, desencadeando uma sucessão de acontecimentos. O filme estreia em Portugal no dia 8 de Março. Zachary compareceu nos Óscares com o realizador e argumentista deste filme.

 

O segundo filme realizado pela rainha da pop, "W.E." (2011), apesar de não ter conseguido a nomeação para a música "Masterpiece", também da autoria de Madonna, que não compareceu à festa, estava nomeado na categoria de Melhor Guarda-Roupa. No entanto, não levou o Óscar para casa. "W.E." tem sido arrasado pela crítica, tendo-se apenas destacado a suposta "obra-prima" que é o guarda-roupa e a sua música. O filme conta a história da paixão entre o rei Eduardo VIII do Reino Unido e a divorciada americana Wallis Simpson, e um romance contemporâneo entre uma mulher casada e um segurança russo. Onde é que já vimos parte do argumento deste filme? Ah, sim, no filme vencedor de quatro Óscares o ano passado, incluindo Melhor Filme, "O Discurso do Rei" (2010) de Tom Hooper.

 

 

Mesmo não tendo vencido, Glenn Close e Janet McTeer estão de parabéns pelas interpretações no filme "Albert Nobbs" (2011), de Rodrigo García. Ambas encarnam duas mulheres que para vencerem na vida assumem uma identidade masculina, vivendo com homens, uma delas, a personagem de McTeer, até é casada com uma mulher. Para Glenn Close era a sua sexta nomeação e perdeu o Óscar para a também veterana Meryl Streep com o seu retrato d"A Dama de Ferro" ("The Iron Lady", 2011, Phyllida Lloyd). Já para Janet McTeer esta era a sua segunda vez nestas andanças e foi batida por Octavia Spencer em "As Serviçais" ("The Help", 2011, Tate Taylor).

 

Luís Veríssimo

 

1 comentário

Comentar