Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Organização de Londres 2012 quer atletas fora do armário

O Comité Organizador dos Jogos Olímpicos Londres 2012 (LOCOG) está a criar todas as condições para que os atletas gays e lésbicas possam assumir a sua orientação sexual, sem temerem repercussões negativas. Porém, a organização acredita que não tem capacidade para levar tais atletas, que participam na mais importante competição desportiva, a fazê-lo.

Stephen Frost, um dos responsáveis do LOCOG e que conta com um percurso de ativismo gay-friendly - já que foi membro sénior da Stonewall, a organização britânica defensora dos direitos LGBT -, declarou: “O ambiente que estamos a criar em Londres 2012 é de apoio e inclusão. Os atletas irão ver as nossas iniciativas de diversidade e podem sentir-se à vontade e serem eles próprios”

Nos últimos meses, a LOCOG tem realizado um trabalho para que a população olímpica sinta que a diversidade é um dos lemas das olimpíadas, contando para isso com um considerável número de colaboradores gays.

Embora a Carta Olímpica do Comité Olímpico Internacional declare “agir contra qualquer forma de discriminação que afete o Movimento Olímpico” e “encorajar o apoio e desenvolvimento do desporto para todos”, é um facto que gays e lésbicas estão pouco representados a este nível competitivo.

Acredita-se que nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 apenas 0,1% dos atletas seriam homossexuais assumidos.

Os jogos aquáticos são dos poucos desportos a nível olímpico que contam com uma tradição de campeões abertamente homossexuais, desde o norte-americano Greg Louganis ao australiano Daniel Kowalski, passando por Matthew Mitcham, o mergulhador australiano e atual campeão olímpico em 'Saltos Ornamentais'.

O chefe executivo da Associação Amadora de Natação do Reino Unido, David Sparkes, afirmou que as associações dos desportos aquáticos “têm-se esforçado para abordarem os temas da igualdade e diversidade na natação”. “Trabalhámos muito neste tema desde 2002 e, recentemente, o nosso programa de desenvolvimento tem como objetivo abordar a sub-representação no desporto em geral e em particular na natação, clubes, treinos, oficiais e voluntários.”

Esta combinação de apoio do Governo britânico, programas de treino e desenvolvimento a todos os níveis de desporto - aliada a fortes modelos a nível da elite desportiva - é uma razão para encorajar os mais jovens a envolverem-se no desporto.

Poderão, assim, os heróis olímpicos gays e lésbicas saírem do armário, nem que seja em fato de banho? A resposta pode estar nestes Jogos Olímpicos, que começam hoje e decorrem até 12 de Agosto.

 

 

NR

 

 

Já segues o dezanove no Facebook?