Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Madrid, Valência, Málaga cancelam concerto de rapper homofóbico que vem a Lisboa actuar no TMN ao Vivo

"Sodomitas e maricas, eu digo: morte para eles" e "Boom boom! Os maricas devem morrer". Estes são apenas dois exemplos de letras de canções do rapper jamaicano Sizzla, que tem um concerto agendado para a sala TMN ao Vivo, em Lisboa, para o dia 5 de Abril.

 

Em Portugal não são conhecidas quaisquer reacções negativas à actuação de Sizzla em território nacional, mas em Espanha, a Federación Estatal de Lesbianas, Gays, Transexuales y Bisexuales (FELGTB) promoveu um abaixo-assinado, subscrito por mais de 39 mil pessoas que levou já a sala Marco Aldany (Madrid) a suspender o concerto do rapper, que estava agendado para 13 de Abril. A sala Vivero (Málaga) e as Escuelas San José (Valência) também cancelaram a actuação. Em Espanha, apenas a sala Apolo de Barcelona continua com o concerto em agenda. Os responsáveis pela sala catalã já garantiram que não será tocada qualquer música de teor homofóbico.

 

O alerta sobre a homofobia do artista soou depois de, num concerto em Chicago em Abril de 2002, Sizzla ter incitado o público a matar homossexuais já que os acusou de propagar sida e "outras doenças". Cinco anos depois, o artista assinou, com outros cantores de reggae, um documento em que se comprometia a "respeitar e defender os direitos de todos os indivíduos a viver sem violência independentemente da sua religião, orientação sexual, raça, etnia ou género". Este compromisso durou pouco tempo já que meses depois durante a digressão europeia, cantou várias vezes a música "Nah Apologize", considerada um hino à violência e que, entre outras coisas, diz "Jamais pedirei desculpas a um gay".

 

Aqui ficam alguns exemplos de letras interpretadas por Sizzla. Em "Pump Up": "Step up inna front line (Fica na primeira fila), "fire fi di man dem weh go ride man behind" (Queima os homens que têm sexo com outros homens por detrás), "Shot battybwoy, my big gun boom" (Dispara contra os maricas, a minha pistola faz boom). Na música "Boom Boom": "Boom boom! Batty boy them fi dead" (Boom boom! Os maricas devem morrer). Em "Get To Da Point": Sodomite and batty bwai mi seh a death fi dem (Sodomitas e maricas, eu digo: morte para eles). Mi a go shot batty bwai dem widdi weapon ya (Vou e disparo nos maricas com uma arma).

 

50 comentários

Comentar

Pág. 1/2