Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Começou a campanha pelo Casamento Civil Igualitário no Brasil (com vídeos)

12 de Abril é a data para o lançamento oficial da campanha a favor do Casamento Civil Igualitário entre pessoas do mesmo sexo. A campanha foi elaborada pelo deputado Federal pelo Estado do Rio de Janeiro Jean Wyllys, que representa o Partido Socialismo e Liberdade.

 

O primeiro deputado gay “fora do armário” (como o próprio se intitula) da história do Brasil, criou um projecto que rejeita a união civil. Em vez disso, Wyllys pretende propor ao Congresso brasileiro a aprovação de um projecto de emenda constitucional, para garantir o direito ao casamento civil a todas as pessoas, independente da sua orientação sexual. Para Wyllys, este projecto tem como principais objectivos, o reconhecimento social e político da dignidade e da condição humana das pessoas homossexuais, referindo-se ao casamento civil, como uma luta cultural e simbólica - “ a proibição do casamento aos homossexuais exclui-nos de uma longa lista de benefícios sociais”.

Parte da promoção da campanha assenta na criação de um site, onde são vários os artistas que mostram o seu apoio, a esta iniciativa. Desde nomes históricos da cultura contemporânea brasileira, como Caetano Veloso, Ivan Lins ou Chico Buarque, passando por Zélia Duncan, Cauã Reymond ou a actriz Arlete Sales – que refere que todos os seres humanos são iguais - são muitas as personagens culturais que abraçaram esta causa e deixam o seu depoimento público. No campo político é possível ler testemunhos do ex-presidente Lula da Silva, de Cristina Kirchner aquando da aprovação da lei do casamento na Argentina, José Luís Rodrígues Zapatero ou de José Sócrates.

Desde Maio de 2011, que o Supremo Tribunal Federal decidiu que a união homoafectiva se tornaria reconhecida no Brasil. Desta forma, seriam reconhecidos os mesmos direitos comuns a um casal homossexual, que estão consignados a um casal heterossexual. Apesar disso, o deputado Wyllys acredita que o facto do casamento civil, ainda ser negado aos casais de pessoas do mesmo sexo, apoia culturalmente a discriminação em relação aos homossexuais.

No final do mês, realizar-se-á um grande evento no Rio de Janeiro com vista a apresentar publicamente a campanha, que começará a correr o país.

 

 

 

Luís Miguel

 

Já segues o dezanove no Facebook?