Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

“Rei dos Gnomos” inspira João Pedro Vale

João Pedro Vale inaugura amanhã em São Paulo, na Galeria Leme, a sua nova exposição "Ghob ou The End is Near", inspirada na história de Francisco Leitão, o chamado "Rei dos Gnomos", ou "Rei Ghob". Também no âmbito de Guimarães 2012 e do projecto O Castelo em 3 Atos, o artista tem em exposição naquela cidade, até 17 de Junho, o trabalho "O Rei dos Gnomos".

 

Tratam-se de um conjunto de trabalhos baseados em crenças populares e teorias esotéricas, que marcam para o dia 21 de Dezembro de 2012 o fim do mundo como o que conhecemos, e o início de uma nova era. No caso da exposição brasileira, a mostra divide-se em dois núcleos: um conjuntos de filmes, realizado em colaboração com Nuno Alexandre Ferreira, intitulado "O Rei dos Gnomos" ou "King Ghob", e uma série de peças que se relacionam com o universo dos filmes. Estes filmes têm como ponto de partida Francisco Leitão, o "Rei dos Gnomos". "Por meio de vídeos caseiros publicados no YouTube, Leitão atraía jovens para a sua casa no interior do país, uma espécie de castelo, recheado de duendes e esculturas mitológicas, misturados com personagens da Disney. Alegando ter poderes mágicos, que os poderiam salvar da catástrofe que acometeria o mundo em 2012, Leitão aliciava os jovens para uma espécie de seita, com o intuito de obter favores sexuais. Francisco Leitão viria a ser acusado pela morte de 3 adolescentes", pode ler-se no texto de apresentação da exposição.

 

Recorde-se que no ano passado, a exposição do artista, com inauguração prevista para o Espaço Arte Tranquilidade, em Lisboa, foi cancelada. A exposição baseava-se numa recolha de factos históricos ocorridos na cidade norte-americana de Provincetown, onde João Pedro Vale e o seu parceiro artístico Nuno Alexandre Ferreira estiveram em residência artística. A "temática gay" da exposição terá estado na origem da decisão dos promotores da exposição.