Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Quais as personalidades mais homofóbicas de Portugal? Eles respondem

Quais as personalidades que mais se distinguiram pela negativa nestes últimos tempos pela intolerância contra a diversidade e pela sua homofobia? A resposta é dada pelos grupos Pride Azores, Free Zone, Diversity, Rede Positivo e Opus Gay que atribuíram os "Prémios Limão-Palmatoadas", coincidindo com o 17 de Maio, Dia de Combate à Homofobia e Transfobia. Na lista de premiados estão o deputado regional Pedro Medina (CDS-PP Açores), Isilda Pegado, José António Saraiva e José Marques Teixeira.

 

Porquê estas escolhas? "Num requerimento entregue no Parlamento Açoriano, Pedro Medina evoca pretensas razões culturais, sociais e até religiosas para criticar a disponibilidade do executivo socialista regional em patrocinar o primeiro evento regional LGBT, o primeiro Gay Pride dos Açores que se vai realizar em Setembro em S.Miguel. Pretende assim impedir a visibilidade e manter o sofrimento psicológico em que têm vivido desde sempre os LGBT açorianos", justificam os promotores da iniciativa.

No caso de Isilda Pegado prende-se com o facto de que a presidente da Federação Portuguesa pela Vida pretender "a todo o custo lançar uma petição para que sejam revistas as chamadas 'leis fracturantes' aprovadas nos últimos anos pelos ex-governos de José Sócrates. Nessa altura promoveu em Lisboa manifestações e procissões para convencer a opinião publica do acerto das suas posições, sem sucesso". A escolha de José António Saraiva, director do semanário Sol, relaciona-se com a crónica "Homossexuais Contestários".

Já José Marques Teixeira, presidente do Colégio de Psiquiatria da Ordem dos Médicos, surge porque "considerava que pode ser possível dar resposta a um homossexual que pede ajuda médica para mudar de orientação sexual. Várias organizações solicitaram ao bastonário que se pronunciasse, ao mesmo tempo que o psiquiatra Daniel Sampaio promoveu a petição que teve 780 assinaturas  exigindo também uma clarificação da Direcção da Ordem e 'uma tomada de posição do Colégio da Especialidade de Psiquiatria'". O Colégio de Psiquiatria justificou depois que José Marques Teixeira falara "a título pessoal".                                                                                                       

Já segues o dezanove no Facebook?


38 comentários

Comentar

Pág. 1/2