Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

28 de Junho, a data incontornável do movimento LGBT

28 de Junho de 1969. A data é incontornável para o movimento LGBT. Foi nessa madrugada que há 43 anos que se deram os confrontos entre gays, lésbicas, bissexuais e transgéneros com elementos da polícia.

A acção passou-se no bar Stonewall Inn, um dos bares mais populares do bairro de Greenwich Village em Nova Iorque (EUA). Uns dias antes tinha acabado de falecer Judy Garland, considerada uma diva para a comunidade e muitos prestavam-lhe ali homenagem. A polícia efectuou uma rusga ao bar, habituais nessa altura, e quis deter várias pessoas. Nessa noite, ao contrário de outras, uma mulher resistiu e as pessoas que aguardavam fora do bar inconformados com a repressão insurgiram-se contra a violência policial e atiraram garrafas, pedras e moedas contra os agentes.

A zona, muito frequentada à noite, rapidamente congregou várias outras pessoas que se somaram ao protesto. O bar ficou destruído e nos dias seguintes continuaram a haver manifestações na Christopher Street, a rua onde se situava o Stonewall Inn. Dessa rebelião resultou o espancamento e a prisão de dezenas de manifestantes.

 

Um ano depois dava-se a primeira marcha reivindicativa e celebrativa, que assinalou o primeiro aniversário dos “motins do Stonewall”. O início destas marchas começou nos Estados Unidos e rapidamente se estendeu a todo o mundo em defesa dos direitos de gays, lésbicas, bissexuais e pessoas trasgéneras.

 

Paulo Côrte-Real, presidente da ILGA Portugal, explica que “a revolta de Stonewall marcou o início de um movimento global que recusa a discriminação, a violência, o silêncio e a vergonha e que promove a igualdade na diversidade, a visibilidade e o orgulho LGBT.” Para o activista “é sempre uma inspiração para continuarmos a dizer um não veemente à discriminação, para denunciarmos todas as violações de Direitos Humanos das pessoas LGBT e para afirmarmos as nossas identidades e o valor da igualdade.”

Côrte-Real deixa, e explica, o convite para o próximo dia 30 em Lisboa: “É também isso que comemoramos com o Arraial Pride (que acontece sempre no Sábado mais próximo do 28 de Junho) - e este ano também com a Exposição Berlin-Yogyakarta que estará na Galeria dos Paços do Concelho até dia 6 de Julho a tornar também visível a história da discriminação”.

A data de hoje, que também é conhecida por Dia do Orgulho Gay, acaba por estender-se a todo o mês de Junho - considerado o mês do Orgulho LGBT. Orgulho  por oposição ao sentimento de vergonha que durante décadas se tentou impor à comunidade LGBT.

 

Já segues o dezanove no Facebook?