Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

O filme que revela Cindy Scrash ao mundo

O filme "A Última Vez que Vi Macau", de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, vai abrir a 10ª edição do DocLisboa, a 18 de Outubro. O filme já recebeu uma menção especial do júri do Festival de Locarno, principalmente pela "extraordinária personagem Candy, pela sua poderosa presença através da ausência". Candy é interpretada por Cindy Scrash, que já integrara o elenco de "Morrer como Um Homem" e que actua no Finalmente (Lisboa).

 

"O nosso filme partiu de um confronto de duas memórias e de duas ficções: de um lado as memórias do João Rui, que viveu em Macau quando era criança; e por outro as minhas, a de alguém que nunca havia estado por lá", explicou João Pedro Rodrigues ao Swissinfo.ch, aquando da apresentação do filme na secção competitiva de Locarno. A ideia era fazer um documentário sobre a infância de João Rui Guerra da Mata que, entre 1971 e 1974, viveu naquele território com a família.
Após uma visita a Macau, os realizadores decidiram optar por uma ficção. "Quando chegamos, percebemos que Macau não precisaria de mais um documentário, pois olhávamos a volta e víamos ficções em todo lado", explica João Rui Guerra da Mata. "É uma ficção contaminada pelas minhas memórias", reforça.

Além das 150 horas de filmagens em Macau, "A Última Vez que Vi Macau" inclui imagens de arquivos pessoais. Na história, um homem recebe um pedido desesperado de ajuda de uma ex-amante, Candy, que vive em exílio voluntário em Macau. Ao chegar à cidade chinesa onde vivera há trinta anos, o homem passa a ver Candy como um fantasma.

 


Na foto: João Pedro Rodrigues, Cindy Scratch e Guerra da Matta em Locarno. Foto de Rui Poças