Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Actriz Rita Ribeiro interpreta a mãe de Gisberta no Teatro Rápido

O Teatro Rápido, situado no Chiado em Lisboa, levará à cena a peça “Gisberta”. A peça contará com Rita Ribeiro no papel de Angelina. A actriz desempenhará o papel da mãe de Gisberta Salce Júnior, que foi brutalmente assassinada no Porto, em 2006, após três dias consecutivos de uma violência física e moral sem precedentes em Portugal.

Encenada e escrita por Eduardo Gaspar a peça tem estreia a 1 de Maio no Teatro Rápido, local de um novo conceito de teatro, que, como o nome indica, apresenta em pouco tempo e em cenários mais inusitados as suas obras. As sessões duram 15 minutos e realizam-se de quinta a segunda-feira.

Pela primeira vez em sua carreira, Rita Ribeiro interpretará um monólogo baseado numa história real. Angelina perdeu o "seu menino", num homicídio perpetrado por 14 adolescentes na cidade do Porto.

Durante a peça Angelina vai relatar a um jornalista factos da vida do “seu menino”, desde a infância até o momento em que parte do Brasil em busca do seu direito de ser vista e respeitada como mulher. Angelina fala da sua dificuldade em aceitar a identidade de género do filho e das várias tentativas de o dissuadir, ainda na infância, a não seguir um caminho por ela e por muitos considerado “anti-natura”. No discurso de Angelina há ainda lugar à ternura que revela o amor incomensurável de mãe. Um sentimento que se mistura à revolta contra aqueles que mataram por Gisberta, a quem a sua mãe nunca tratou no feminino. Para a realização desta peça a produção recorreu ao apoio e consultoria do Grupo Transexual Portugal.

A peça “Gisberta” insere-se no tema do mês “Mater” no Teatro Rápido.

 

Já segues o dezanove no Facebook?

 

3 comentários

Comentar