Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Uma história de amor no Brasil dos anos 50 (com vídeo)

Promovido pelo Ano do Brasil em Portugal, a Première Brasil Lisboa traz-nos uma selecção dos mais recentes e premiados filmes brasileiros. Com a presença de realizadores, actores, actrizes, produtores e conversas com o público após as sessões, decorre até 12 de Junho no Cinema Zon Lusomundo do Vasco da Gama.

Esta sexta-feira, 7 de Junho, foi exibido em sessão especial no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, o último filme do realizador Bruno Barreto, "Flores Raras" (2013). Conta a história de amor entre Elizabeth Bishop (Miranda Otto), poetisa americana que venceu o prémio Pulitzer em 1956, e Lota de Macedo Soares (Glória Pires), arquitecta autodidacta carioca que idealizou e supervisionou a construção do Parque do Flamengo, no Rio de Janeiro. Ambientado no Brasil dos anos 50, mostra a trajectória destas duas mulheres numa época riquíssima na transformação das relações humanas.
O filme é um projecto ambicioso que deve a sua existência à perseverança de Lucy Barreto, produtora do filme, conjuntamente com o marido, Luiz Carlos Barreto, pais de Bruno Barreto. "Flores Raras" é um filme sobre o amor entre duas mulheres, mas sobretudo é um filme sobre duas culturas e os seus confrontos, representados por estas duas mulheres, que se encontram e fazem da diferença entre si a força propulsora da sua relação, tudo isto emoldurado e influenciado por uma época riquíssima, onde surge a Bossa Nova e a Ditadura Militar Brasileira.
Baseada no livro "Flores Raras e Banalíssimas" de Carmen Lúcia de Oliveira, a película é de uma delicadeza e beleza raras, uma agradável surpresa. Com uma Glória Pires de uma sedutora austeridade e uma Miranda Otto fria pronta a desabrochar. Um filme a não perder, pronto para ser descoberto. A ver ou rever na segunda-feira feriado, 10 de Junho, às 18h30, no Cinema Zon Lusomundo do Vasco da Gama.

 


Classificação: 4,5 estrelas em 5





Luís Veríssimo