Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Estudo: “Os Simpsons” ajudam gays a saírem do armário (com vídeo)

Um estudo revelou que a série de desenhos animados “Os Simpsons” ajudou homossexuais a saírem do armário devido à forma como retrata o assunto. O académico alemão Erwin In het Panhuis conduziu este estudo que envolveu a análise de mais de 500 cenas da série que, acredita, ajudam a dissipar a discriminação contra a homossexualidade e os casais do mesmo sexo.

 

O estudo foi agora publicado no livro “Por trás das Piadas Gay – a Homossexualidade n’ “Os Simpsons”, onde o autor escreve que o programa “trata a homossexualidade como uma coisa normal num meio que é normalmente muito hostil perante este assunto”. E sugere que Homer Simpson é um personagem muito mais complexo do que parece. “Homer já beijou homens nos lábios mais do que 50 vezes durante toda a série, apesar de ser casado e feliz com a sua esposa, Marge. Por vezes, ele é heterossexual, por vezes gay e outras vezes homofóbico.”

Esta série norte-americana, criada por Matt Groening, está no ar há mais de 20 anos e foi a primeira série de desenhos animados popular que dedicou um episódio completo à igualdade de casamento. Outros episódios com referências homossexuais incluem Lisa a convencer a sua familiar a participar na marcha de Orgulho Gay, Homer a cantar “We’re here, we’re queer” e outro em que este é beijado na boca pelo colega gay de quarto.

Entre as 70 personagens estudadas, conta-se a relação entre Mr. Burns (o patrão de Homer) e o seu assistente Smithers. O académico escreveu: “É uma relação muito complicada, cheia de medo e amor platónico, mas também com momentos de verdadeira ternura. [A série] marcou o tom para as séries de desenhos animados e acredito que irá ser sempre a pioneira.”

 

 

Lúcia Vieira