Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

O primeiro casamento

Não teve validade legal, mas foi o primeiro casamento entre um casal gay que obteve cobertura mediática nacional. Ricardo Mealha, 41 anos, e o namorado, David Rodrigues, de 28 anos, escolheram a discoteca Lux para, no dia 23 de Dezembro de 2009, juntarem amigos e celebrar o seu amor. Dias antes, Ricardo Mealha, um dos mais conceituados designers nacionais, tinha dado uma entrevista à revista Pública a explicar o porquê desta cerimónia. O 24horas chegou a dedicar a capa de uma edição ao casal, já que estariam presentes alguns famosos.

Pormenores da cerimónia

Primeiro, ouviu-se a voz de Madonna, num discurso religioso que a cantora apresentou numa das suas recentes digressões e que aparecia traduzido num painel electrónico. O actor João Grosso leu um poema de amor de Rumi, que é considerado o criador do sufismo, a vertente mais mística do islamismo. Como pano de fundo via-se sempre a palavra Amor.

As madrinhas foram Guta Moura Guedes (Experimentadesign) e Eduarda Abbondanza (Moda Lisboa). No fim, após a troca de votos dos noivos, surgiu a bandeira nacional no painel electrónico. Um sinal de que se estava perante uma manifestação, também com um tom político a pouco mais de duas semanas do tema do casamento entre pessoas do mesmo sexo ser discutido no Parlamento.

Guta Moura Guedes, durante a cerimónia, declarou: “Este casamento, em 2009, em Portugal, num momento em que a lei de casamento entre pessoas do mesmo sexo não foi ainda publicada, tem um carácter político. Político no mais belo sentido da palavra. No sentido em que nós devemos agir de forma a modificar aquilo que achamos que não é correcto”. O casal, agora a viver em São Paulo, pretende casar-se civilmente, quando tal for possível em Portugal.

2 comentários

Comentar