Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

O “tudo ou nada” para tornar a série “Barba Rija” realidade

O projecto foi dado a conhecer há um ano e chegou agora à fase decisiva. André Murraças esteve esta quinta-feira no Queer Lisboa a fazer o ponto de situação do projecto “Barba Rija”, que quer ser a primeira série sobre um grupo de amigos bear produzida em Portugal.

“Não se fez nada a nível de ficção sobre este universo e isso para mim é uma falha. É preciso registar a Lisboa de hoje com esta vivência”, explica ao dezanove.pt André Murraças, autor de “Barba Rija”.

O projecto, que quer contar o dia-a-dia de três amigos (António, Pedro e Ursão) com epicentro no Príncipe Real, só avança caso haja financiamento. “Conseguimos algum dinheiro de bares, discotecas e marcas, mas não chega para os 13 episódios previstos”, refere. A produção decidiu agora concentrar esforços em fazer um episódio-piloto, de 20 a 30 minutos. Para isso, lançou um crowdfunding, que permita pagar a produção, actores e licenças. “Toda a gente pode contribuir para os 3200 euros de que precisamos”. As contribuições podem ir dos 20 aos 500 euros. Quem ajudar financeiramente tem “direito a nome no genérico como produtor e acesso a extras, como uma ante-estreia exclusiva, visita às filmagens, figuração, entre outros. Temos até 15 de Novembro para a campanha do crowdfunding. É tudo ou nada. Se não tivermos o total de que precisamos, o dinheiro é devolvido”, prossegue. O desafio foi lançado ontem. A 50 dias de terminar estava já garantido 10 por cento do financiamento.

No Queer Lisboa foram apresentadas três cenas do primeiro episódio e os actores escolhidos das audições: Alexandre Gregório, Vitorino Demécio e Luís Mota. “Só um tem experiência como actor mas todos têm talento para terem ficado no projecto. São genuínos, isto é, as personagens são eles, são gente que eles conhecem e isso para mim era o mais importante”, remata André Murraças. A nível internacional várias séries de temática já se tornaram realidade graças ao crowdfounding, como “Husbands”, “The Outs” ou “Where the Bears Are”.

 

6 comentários

Comentar