Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Sia vai doar lucros da música com Eminem a associação LGBT

Sia anunciou que vai doar os rendimentos que tiver da música que escreveu e cantou com Eminem, ao Centro Gay e Lésbico de Los Angeles.

A cantora e compositora australiana, que se assumiu como queer (afirmando já ter tido relações com homens e mulheres), foi bombardeada no Twitter por alguns fãs depois de ter anunciado que iria participar no novo álbum do rapper, onde a polémica se tem instalado pelas frases homofóbicas do novo single “Rap God”.

“Eu sei que ele não é homofóbico, mas sim um artista de performance. Eu nunca trabalharia com alguém que soubesse ser homofóbico”, explicou a cantora. No entanto, não deixou de demonstrar a sua surpresa pelas referências homofóbicas presentes no álbum. “Percebo as vossas preocupações e estou com medo das repercussões no caso de ele não explicar a sua arte. Eu sou queer, e adoro os meus queers, novos e velhos. Trabalho com o Centro de Jovens LGBT sem-abrigo e quando ouvi ‘Rap God’ fiquei aflita” declarou a cantora e compositora, conhecida por sucessos como “Titanium” e “Diamonds”.

Após esta discussão, Sia decidiu que irá doar os ganhos que terá com os direitos da música ao Centro Gay e Lésbico de Los Angeles, um “abrigo de 50 camas” e apoio para jovens LGBT sem-abrigo.

Entretanto o álbum “The Marshall Mathers LP 2”continua a subir no top de vendas, sendo já um dos mais vendidos do ano. O rapper, que venceu o prémio de “Artista do Ano” nos Prémios You Tube, já veio falar publicamente que não tem “nenhum problema” com as pessoas gays e que usa a palavra ‘faggot’ como sinónimo de ‘bitch’ ou ‘punk’.

 

 

André Faria