Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Por que é importante conhecer melhor Pyotr Pavlensky (com vídeo)

O artista e performer russo, Pyotr Pavlensky, chamou à atenção este Domingo quando pregou os seus testículos com um martelo, na calçada da Praça Vermelha na Rússia, como forma de protesto contra as medidas aprovadas pelo Kremlin, sede do Governo Russo.

O insólito protesto coincidiu com a celebração do Dia da Polícia, um feriado nacional na Rússia. Antes desta acção Pyotr publicou na internet a seguinte frase: "Um artista nu, a olhar para os seus testículos pregados ao chão de Kremlin, é uma metáfora para a apatia, indiferença política e fatalismo da sociedade contemporânea russa". "O governo continua a tornar o país numa grande prisão, onde roubam às pessoas e usam o dinheiro para crescer e enriquecer a 'máquina' policial e outras estruturas repressivas. Enquanto a sociedade permitir que isto aconteça e, ao esquecer-se da vantagem numérica que tem, está a contribuir para o triunfo de um Estado policial, através da sua inacção", foram as declarações do pintor de 29 anos.
Não é a primeira vez que Pyotr Pavlensky se manifesta com este tipo de "arte". Em 2011, coseu os seus lábios em protesto contra a detenção de dois membros das Pussy Riot, após o grupo ter cantado dentro do principal templo da Igreja Ortodoxa Russa, contra o regime de Putin. No mesmo ano, o artista já tinha envolvido o seu corpo nu em arame farpado, à porta do edifício do Parlamento em São Petersburgo, alegando que simbolizava "a existência de uma pessoa dentro de um sistema legal repressivo".
Depois de mais de uma hora preso ao chão da Praça Vermelha, Pyotr Pavlensky foi levado pela polícia para um hospital, onde terá rejeitado o tratamento. O activista político e artista foi detido pela polícia, que classificou o protesto como "normal para um doente mental" e poderá sofrer uma pena de prisão até aos 15 dias, pela sua acção.

 

Nota: Vídeo de conteúdo explícito

 

 

André Faria