Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Belmiro Pimentel: "Eu… Tive um sonho"

 

Foi o discurso que mais aplausos recolheu na tarde de Sábado na Praça D. João I protagonizado por Belmiro Pimentel, o rosto visível dos agentes da PSP que assume publicamente a sua orientação sexual homossexual.

O XY é um grupo de trabalho dentro do Sindicato Unificado da Polícia no qual o agente Belmiro colabora e que entre outras missões quer mostrar que os polícias LGBT existem e são como qualquer outro polícia, merecedores de igual respeito e não só merecedores do 'politicamente correcto'. “A maioria dos meus colegas conhece bem o meu trabalho, mas não sei como reagiriam se me vissem dar um beijo ao meu namorado” comenta Belmiro Pimentel no final da quinta edição da Marcha do Orgulho LGBT do Porto.

Porque há discursos que merecem ser relidos, o dezanove transcreve na íntegra as palavras do agente Belmiro:

 

Eu… Tive um sonho

Nesse sonho, era surdo e não ouvia os disparates constantes sobre a comunidade LGBT, as piadas e os risinhos fáceis, de escárnio, que dia a dia nos são direccionados;

Nesse sonho eu era cego e não via os olhares de censura, de repúdio, de ódio, com os quais todos os dias nos deparamos;

       Nesse sonho eu era mudo e não podia ensinar-lhes, explicar-lhes que estão errados a meu respeito, não podia reagir a tanto absurdo que nos vai    destruindo, matando pouco a pouco;

 Como tal nesse sonho, eu não podia ser feliz, pura e simplesmente por não ser eu, por não me sentir pessoa, não ter identidade própria.

Eu acordei porque estava na hora de dizer: Basta!

Porque eu tenho uma identidade.

Porque se eu… sou uma pessoa com os mesmos deveres, também tenho de ter os mesmos direitos.

Acordei para descobrir que:

Não sou eu que sou surdo, és tu que teimas em não ouvir;

Não sou eu que sou cego, … és tu que insistes em não quereres ver o quanto estás errado;

Não sou eu que sou mudo, … mas tu, que por mais que te pergunte: Porquê?

Ficas sem resposta e te escondes atrás de um preconceito já absurdo, limitando-se a nada dizer com fundamento, que é o mesmo que estar calado;

Enquanto não me quiseres receber, a mim, que sou LGBT, jamais poderei admitir que fales do que não conheces.

Até lá para mim… continuarás a ser surdo, cego e mudo.

Acorda para a vida, evolui… repara que já estás no século XXI!

O meu nome é Belmiro Pimentel, sou agente da PSP e estou aqui para vos dizer que tenho Orgulho de ser quem sou!”

 

Porto, 10 de Julho de 2010

 

 

 

7 comentários

Comentar