Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

7 aspectos LGBT da semana eurovisiva

créditos: Andres Putting Eurovision

Não faz falta dizer que o Festival Eurovisão da Canção é a maior festa da diversidade que uma cidade pode receber. O público LGBT faz parte integrante dos fãs que seguem o festival independentemente da cidade que acolhe o evento e Lisboa não foi excepção. Sejam fãs, cantores, membros das delegações, apresentadores, jornalistas ou equipas de produção. Durante vários dias foi possível ver muitos casais do mesmo sexo caminharam de mãos dadas, trocarem afectos e beijaram-se nas ruas de Lisboa ao ritmo de bandas sonoras que todos conhecemos. Fica aqui com o apanhado de sete momentos LGBT deste festival.

 

 

1. A Irlanda teve o tema explicitamente mais LGBT de todo o certame. “Together” cantado por Ryan O'Shaughnessy mostrou em palco dois bailarinos homens que dançavam ao som de uma história de amor. Em conferência de imprensa o cantor irlandês afirmou que a sua intenção não era cantar sobre amor gay ou amor hetero, mas simplesmente mostrar às pessoas que não há diferenças e que amor é apenas amor. Ryan é, apesar disso, um raro exemplo de um cantor que admite publicamente a sua homossexualidade neste certame. O irlandês falou ainda com orgulho dos avanços que o seu país tradicionalmente conservador deu ao permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo através do referendo popular.

eurovision-ireland.jpg

2. Quem não foi nesta cantiga foi a China. A estação Mango TV que supostamente iria transmitir todo o certame não gostou de ver o casal gay irlandês em palco pelo que cortou a emissão nesse momento e noutro em que se o cantor albanês exibia tatuagens. Ao abrigo dos "cânones" televisivos chineses estas heresias não são permitidas e ao boicote dos chineses, a EBU (União Europeia de Radiodifusão) retirou a licença de exibição.

 

3. O Grindr, uma aplicação online de encontros entre homens, decidiu libertar na semana da Eurovisão as notificações no ecrã e a gravação de mensagem áudio, mesmo para os utilizadores que não pagam a versão extra. Resultado: muito mais mensagens, mas também mais lentidão…

 

4. Um mito urbano bastante espalhados nos últimos dias, a reboque também de algumas “notícias”, foi o facto de a organização do festival não permitir bandeiras do arco-íris no recinto. Facto: a organização permite bandeiras até 1,20m de dimensão. Todas as outras de dimensão superior não são admitidas porque interferem com a visibilidade do espectáculo. Bandeiras LGBT não faltaram conforme documentamos, por exemplo, aqui:

 

Há sempre uma bandeira do arco-íris na Eurovisão 🌈💜🦄 #allaboard @silviaalberto.oficial

Uma publicação partilhada por dezanove.pt (@dezanovept) a

 

5. O palco dos concertos pode ter sido o Altice Arena, na Expo; a Eurovillage e o Euroclub no Terreiro do Paço e o Eurocafé ser em Santos, mas o epicentro LGBT foi mesmo o Príncipe Real e o Bairro Alto. Filas de centenas de metros foram o cenário habitual para entrar em bares e discotecas. A programação dos espaços mostrou acompanhar o principal evento de música europeia ao ter festas temáticas, música eurovisiva e horários alargados. Se para a organização da Eurovisão só havia 4 espaços LGBT na cidade, a equipa do guia Lisbon Gay Circuit mostrou que havia bem mais, distribuindo mais de 7500 mapas com a rota dos espaços LGBT friendly da capital. O roteiro em papel e também online (disponível em lisbongaycircuit.com) abarca mais de 50 parceiros, entre bares, discotecas, saunas, restaurantes, lojas, alojamentos, empresas de tours e serviços LGBT.

LGC 2018  mapa.JPG

 

6. Também a recém-criada associação de comércio e turismo dos empresários do ramo LGBT, Variações distribuiu na última semana um postal para promover Portugal enquanto destino LGBT friendly através da campanha “#Bicha /bee-sha/ It’s Portuguese for #DancingQueen”. O postal continha um endereço que encaminhava para a programação temática dos associados durante a semana da Eurovisão.

 Bicha.JPG

 

7. O guião do Festival da Eurovisão teve algumas referências e piadas relacionadas com a temática LGBT. Mas, “lets get something straight”, mais do que saber onde e quando será a Eurovisão 2019, o que queremos saber por agora é a conta de Instagram deste Diogo: 

Dioggo.JPG

 

Créditos da primeira foto: Andres Putting - Eurovision 

6 comentários

Comentar