Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Os testemunhos e objectivos do acampamento de Verão para jovens LGBT

Vai decorrer de 21 a 29 de Agosto de 2010 e trata-se da 8ª edição do Acampamento de Verão da associação juvenil rede ex aequo que este ano elegeu Vila Nova de Milfontes como destino.


Um dos principais objectivos deste acampamento é fazer com que jovens lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros de todo o país possam vivenciar momentos juntos partilhando sem receios e sem preconceitos uma semana em que serão abordadas temáticas em torno da orientação sexual e identidade de género.  Gonçalo Quinaz, da organização, revela que “os testemunhos ao longo dos últimos sete anos têm sido dos melhores”, porque “os participantes estão em permanente contacto com temas sobre os quais não conseguem facilmente falar em casa” e porque acedem a “informação que dificilmente recebem no seu quotidiano devido à invisibilidade do tratamento destes assunto pela sociedade em geral”.


Uma característica deste projecto é haver apenas participantes com uma faixa etária compreendida entre os 16 e os 30 anos, isto porque a “associação trabalha especificamente com e em prol dos jovens e as suas particularidades e vivências. É nosso objectivo reunir pessoas que estejam em períodos da vida em que as suas experiências sejam mais similares”, adianta o jovem da rede ex aequo.


 


Testemunhos


Gonçalo Quinaz, 24 anos: “Respira-se conhecimento e cresce-se a cada dia que passa”


Igualmente participante de duas edições anteriores Gonçalo, de 24 anos ,diz que “via o acampamento como um projecto que seria o culminar de tudo o que estava a aprender na associação sobre mim e sobre o que significa ser-se LGBT” e adiciona que se assumiu aos 22 aos seus pais e irmão e aproveitou o facto para “poder dar uma escapadela de férias sem ter de mentir sobre o que estava a fazer”. “Ouvir testemunhos na primeira pessoa, poder fazer perguntas, obter respostas correctas e sentidas e desmistificar conceitos num ambiente seguro e saudável, e de enorme respeito uns para com os outros, é de um valor incomensurável.” Gonçalo aponta que uma das actividades a que atribui mais importância é a dinâmica sobre "transgenerismo", onde se conversa e aprende mais sobre este tema e em particular sobre a transexualidade, “algo que muitos de nós desconhecemos quase por completo” e “acabamos a dinâmica com um profundo respeito pelos mesmos e pelo tema em si”. “Sou uma pessoa muito mais segura e confiante quanto à minha orientação sexual e quanto à homossexualidade no geral”, remata.



Renata Silva, 32 anos: “Adoro ouvir as histórias de coming out”


“Tinha a certeza que nada seria comparável a passar uma semana rodeada de malta jovem que, como eu, têm uma orientação sexual ou identidade de género diferente da dita ‘normal’! Esperava que a sensação de 'comunhão', de estarmos todos no mesmo barco, entre nós fosse imensa, por todos termos passado ao longo da nossa vida, por chatices, sofrimento, discriminações, medos e tudo isso que nos acontece só por sermos LGBT numa sociedade preconceituosa.” O depoimento é de Renata Silva, de Coimbra e participante na primeira edição do acampamento em 2003. Foi muito bom “trocar experiências, a discutir ideias, a estar à vontade a falar de assuntos tabus. Foi uma experiência inesquecível! ” O acampamento da rede ex aequo significa "convívio, divertimento, partilha de experiências, conhecer novas pessoas, mas sobretudo sentir que não somos diferentes, que podemos ser também felizes como os outros e, principalmente, que não estamos sozinhos!"


Sara Oliveira, 26 anos: “A minha experiência não é a do outro, e todas são válidas”


Esta jovem portuense revela que “a título pessoal, foi uma altura muito complicada para mim pelo que quase todas as actividades e momentos de convívio foram importantes. No entanto uma das actividades mais importantes para mim foi a ‘carta para mim’. Foi um momento de introspecção engraçado, e quando recebi a carta uns meses mais tarde percebi o quão importante tinha sido a ida ao acampamento para o meu próprio crescimento e foi bom recordar os momentos lá passados. Após o acampamento, senti que, de uma forma quase espontânea, tinha crescido. O que pareciam problemas graves, agora tinham uma dimensão suportável e até de fácil resolução. Da altura até hoje ficou o bichinho de lutar pelos direitos que são de todos, e de não ter certezas absolutas, porque a minha experiência não é a do outro, e todas são válidas.”


 


Em média 50 participantes


Anualmente o acampamento conta com uma média de 50 participantes e a edição deste ano será apoiada por 9 voluntários que organizarão actividades, enriquecidas com convidados para as dinâmicas e workshops de temática LGBT previstos ao longo da semana. A inclusão deste tipo de actividades de manhã, à tarde e à noite diferencia o projecto. Gonçalo Quinaz comenta que “estas actividades são importadas do funcionamento dos grupos locais de jovens” que a rede ex aequo tem localizados em dez cidades do país. E explica ao dezanove três das que constam do programa semanal: "A dinâmica Estradas da Vida pretende analisar o caminho percorrido pelo participante até então no que diz respeito à sua orientação sexual e/ou identidade de género, pensando, debatendo e partilhando momentos-chave da sua vida tendo em conta várias fases por que tem passado e momentos importantes que o tenham formado nestes aspectos.Rebentar Mitos pretende, tal como o nome indica, desmistificar vários conceitos que a sociedade em geral (incluindo pessoas e jovens LGBT) tenha em relação a esta temática, e que se baseiam maioritariamente em pré-conceitos e estereótipos. O objectivo é abordar os participantes com várias situações da vida real e fazê-los pensar e debater sobre o que poderá ter levado àquela ideia para posteriormente desconstruir estas crenças erradas. Finalmente, a dinâmica O Peso das Palavras tem como objectivo fazer os jovens pensar em frases, ideias, palavras, conceitos que tanto podem funcionar negativa como positivamente, e debater a origem dos mesmos ou os tipos de sentimentos que criam em todos nós; o que nos deita abaixo e o que nos encoraja, o que nos denigre ou o que nos é motivo de orgulho, o porquê das mesmas, a sua existência, e finalmente tentarmos perceber o peso das mesmas para com cada participante individualmente e como grupo."


AMPLOS vai estar presente


A associação de apoio às mães e pais de homossexuais, AMPLOS, é uma das presenças confirmadas para um almoço convívio no final da semana, naquele que será “talvez mais importante e nunca feito até então”: a presença de familiares para poderem conhecer um pouco mais as duas associações e terem um contacto mais próximo com outras mães e outros pais de pessoas LGBT, revela o jovem activista.


As inscrições ainda estão a decorrer e são efectuadas directamente através da rede ex aequo - associação de jovens lésbicas, gays, bissexuais, transgéneros e simpatizantes.


 


Já segues o dezanove no Facebook?

3 comentários

Comentar