Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

O que muda no novo regime das uniões de facto

O Presidente da República promulgou, no passado dia 16 de Agosto, o diploma, outrora vetado, que introduz alterações ao regime jurídico das uniões de facto.


De entre os sete artigos alterados, destacam-se as mudanças relativas à protecção na eventualidade da morte do beneficiário da prestação social e da casa de morada da família. Assim, é adoptado o regime geral da prestação social na eventualidade de morte do beneficiário. O direito à pensão de sobrevivência deixa de estar dependente da situação económica do membro sobrevivo, operando-se automaticamente – tal como no casamento civil.


As alterações permitem também o acesso à utilização da casa de morada de família, por um período de 5 anos ou correspondente à duração da união, se superior. Por outro lado, não é menos relevante a introdução da possibilidade de adopção do regime de IRS que vigora entre os casados.


O diploma determina a sua aplicabilidade independentemente do sexo dos membros, sem prejuízo das excepções referidas e relativas à adopção e procriação médica assistida. Aliás, outra coisa não seria de esperar, tendo em conta que a alteração do regime em vigor visa o reforço da protecção deste tipo de união.


(Não dispensa a consulta do diploma)


Bárbara Rosa

 

Já segues o dezanove no Facebook?