Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Projecto Educação: "A visibilidade tem ajudado a quebrar o tabu de falar sobre assuntos LGBT"

 

rede ex aequo.jpg

A divulgação de resultados do Projecto Educação LGBT veio demostrar o alcance que o projecto teve no último ano lectivo: 51 sessões de esclarecimento onde estiveram presentes cerca de 2700 pessoas. João Valério, 21 anos, membro da direcção da associação de jovens rede ex aequo, explica ao dezanove o que move este projecto, que conta com uma equipa com cerca de 30 oradores voluntários espalhados pelo país.

 

dezanove: Que leitura fazem dos resultados deste ano do Projecto Educação (PE)?

João Valério: É muito gratificante quando analisamos os resultados obtidos no ano lectivo de 2009/2010 e é claramente perceptível a grande evolução e abrangência geográfica que o Projecto Educação tem tido. Acreditamos que a rede ex aequo tem tido um papel fundamental na educação dos mais jovens, mostrando-lhes que a diversidade existe e tem de ser respeitada.

 

No que consiste, sucintamente, uma sessão do PE? E que material é distribuído nessas sessões?

Uma sessão do PE tem como principal objectivo esclarecer alunos do 7º ao 12º ano (embora se realizem diversas sessões no ensino superior) no que concerne a temas relacionados com orientação sexual e identidade de género através duma metodologia de educação entre pares. O papel dos oradores é fundamental enquanto mediadores da sessão, facilitando desta forma a desconstrução de eventuais preconceitos que possam existir. É importante referir que o orador não tem o papel de evangelizar, mas sim de esclarecer e educar. A [associação] disponibiliza três brochuras essenciais para o esclarecimento de questões relacionadas com a orientação sexual e temáticas associadas; uma brochura informativa para jovens LGBT ou com dúvidas - sermos nós própri@s e duas brochuras criadas ao abrigo do Projecto Educação LGBT, uma direccionada para professores e profissionais na área da educação ("Educar para a Diversidade: Um Guia para Professores sobre Orientação Sexual e Identidade de Género") e outra para alunos ("Perguntas e Respostas Sobre Orientação Sexual e Identidade de Género") disponíveis em http://www.rea.pt/projectoeducacao.html.

 

É possível mencionar alguns aspectos mais positivos que costumam receber por parte dos alunos e dos professores das escolas que os jovens oradores visitam?

Após as sessões, é frequente os oradores receberem palavras de apoio, relacionadas com o seu bem-estar a falar sobre o tema e muitas das vezes sobre a própria experiência pessoal enquanto LGBT. É muito gratificante quando a mesma escola nos contacta mais do que uma vez no mesmo ano lectivo, ou no ano lectivo seguinte, porque sentimos que o nosso contributo foi importante e valorizado pela escola que solicita a sessão.

 

E que exemplos de reacções mais negativas já tiveram sobre a presença dos oradores do PE num determinado local?

Curiosamente, as reacções negativas são maioritariamente provenientes de membros do corpo docente. Os oradores já se viram confrontados com situações em que se põe em causa os dados científicos apresentados, em que se duvida da experiência pessoal relatada e já tivemos pelo menos um caso em que o/a professor/a abandonou a sala onde decorria a sessão e obrigou os seus alunos a fazerem o mesmo.

 

Já alguma vez foi negada uma primeira visita no âmbito do PE?

Na maior parte das vezes são as escolas que convidam o Projecto Educação a visitá-las, daí nunca nos ter sido negada uma visita. Sentimos sim, que a visibilidade tem ajudado a quebrar um tabu que muitas das vezes ainda existe em falar sobre assuntos relacionados com a temática LGBT.

 

O que é necessário para que uma equipa de oradores da rede ex aequo se dirija a uma escola ou a uma universidade para efectuar uma sessão do PE?

No âmbito do Projecto Educação LGBT, desde que obtido o consentimento prévio do Conselho Executivo da escola, é efectivamente possível que um ou dois voluntários com formação específica nesta área se desloquem para participar numa sessão. Esta acção pode ser solicitada por um aluno, professor ou por qualquer profissional na área da educação e pode ser  dirigida a um público de qualquer faixa etária.

 

Mapa do alcance geográfico das sessões e debates do Projecto Educação LGBT: http://www.rea.pt/arquivo/PE/PE20092010.pdf

 

Já segues o dezanove no Facebook? 

1 comentário

Comentar