Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Q: Lotação esgotada na abertura do Queer Lisboa

“Tanta ‘bicha’, tanta ‘bicha’, o que é isto? Uma reunião da Tupperware?” O sketch áudio da Bicha do Demónio, o popular fenómeno da internet, arrancou a primeira gargalhada do público que esgotou ontem a sessão de abertura do Queer Lisboa 14, o Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa.


As honras de abertura do festival foram efectuadas por Albino Cunha, da Associação Cultural Janela Indiscreta, e  por João Ferreira, director artístico, que agradeceram a todos aqueles que, entre voluntários e entidades, tornaram possível esta 14ª edição. Em palco estiveram o júri do festival, voluntários e o representante da EGEAC, que co-produz o evento que “mostra dinamismo a cada ano”.


O primeiro de nove dias de festival  no Cinema São Jorge começou com o filme do realizador brasileiro Aluizio Abranches “Do Começo Ao Fim”. Sala repleta pelo que a oportunidade de (re)ver o filme é hoje às 17 horas.


Ainda nos momentos que antecederam a sessão de abertura estiveram presentes em frente do Cinema São Jorge cerca de duas dezenas de pessoas que se manifestaram de forma pacífica envergando faixas “Contra o  Apartheid Israelita” e em “Solidariedade com a Palestina”.


Novidades


À chegada ao festival de cinema gay e lésbico todos aqueles que utilizam a tecnologia Bluetooth no telemóvel são convidados a aceitar uma aplicação ecológica: nada menos do que a programação completa do Queer Lisboa 14 para consulta gratuita.


O renovado Cinema São Jorge, que abriu as portas após obras de intervenção propositadamente para o Queer, tem agora assentos que proporcionam maior conforto, o ar condicionado em funcionamento e uma área acessível para portadores de deficiência motora ou com dificuldade de locomoção.


Durante os discursos da sessão de inauguração foi possível assistir a interpretação de língua gestual portuguesa para um grupo de espectadores.


Reacções


Rita Blanco, que integra o júri que escolherá qual das dez longas-metragens a concurso deverá ser a vencedora do festival, disse ao dezanove estar bastante satisfeita com este convite. A actriz, que provocou alguns momentos bem-humorados na sessão de abertura, confidenciou que gosta de cinema e por essa razão é que estava ali. Em declarações ao dezanove sobre a importância da causa LGBT, a actriz defendeu “direitos iguais, estatutos iguais e o lutar sempre pela liberdade”.


Após a sessão de abertura, Albino Cunha afirmou ao dezanove que as expectativas foram cumpridas e deixa como sugestão pessoal para este Queer "todos os documentários".


Para João Ferreira, a abertura “correu bem” e tem em simultâneo algo de “final de festival” porque representa a “conclusão de um esforço e uma sensação de alívio”. “O nosso objectivo durante o festival é agradar a um leque grande de espectadores e manter a qualidade até ao fim”, disse o director artístico, que acrescentou “queremos que cada um encontre aqui algo que goste”. Como sugestão pessoal, João Ferreira aponta a longa-metragem “Open”, que “trata a questão dos transgéneros como nunca vi”, refere.


Miguel Pinto, da Associação ILGA Portugal, partilha com o dezanove que esta é a oportunidade de “ver um tipo de cinema focado na população LGBT que não temos oportunidade de ver ao longo do ano” e que o Queer “proporciona o aumento da visibilidade e o sentido de comunidade, isto é, criar força dentro de um grupo de pessoas para que estas se apercebam dos seus direitos”.


Fotos do Queer Lisboa 14 no Facebook do dezanove

1 comentário

Comentar