Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Q: Documentário dos Dark Horses: "Nunca nada do género foi anteriormente feito no nosso país"

 

Em contagem decrescente para a última das quatro produções portuguesas presentes no Queer Lisboa 14, o dezanove foi falar com Luís Hipólito e Margarida Moura Guedes, da Mínima Ideia, produtora responsável pelo documentário da equipa de rugby Dark Horses.

 

dezanove: O que levou a produtora Mínima Ideia a avançar para o projecto de acompanhar a rotina dos Dark Horses?

Mínima Ideia: O OK dos Dark Horses e da Direcção da RTP2 à proposta por nós apresentada. Como somos uma pequena produtora independente torna-se difícil avançar com um projecto destes, com muitos meios envolvidos, sem um financiamento.

 

O documentário tem a duração de 50 minutos. Quanto tempo duraram as filmagens? Que recursos estiveram envolvidos?

Duraram cerca de dois meses, com alguns interregnos pelo meio que tiveram a ver com o ritmo dos treinos da equipa, disponibilidade dos jogadores para as entrevistas e, com o timming do Pitch Beach, o torneio organizado pelos Dark Horses com participação de duas equipas estrangeiras. Os recursos são os habituais e imprescindíveis para um resultado final de qualidade. Uma equipa coesa e toda a remar para o mesmo lado. A produção foi um dos braços de ferro deste processo (Ana Rodrigues e Joana Pessoa); bom equipamento, o que custa dinheiro); um excelente operador de imagem (Miguel Manso). E a HOW (Horse on Wheels) como parceira na edição e tratamento de som. Trabalhamos juntos há uns valentes anos e, em equipa vencedora…

 

 O que podem adiantar sobre este documentário? Vamos poder ver um documentário descritivo ou inovador?

Inovador é pois já várias pessoas nos têm lembrado que nunca nada do género foi anteriormente feito no nosso país. Primeiro porque esta é a primeira equipa de rugby gay-friendly “made in Portugal” e depois porque não é muito vulgar ter 11 pessoas a darem a cara para um documentário sobre este tema. Neste caso foi possível talvez porque a BJWHF seja uma associação desportiva composta por pessoas que convivem bem com as suas escolhas e a sua sexualidade.

 

O resultado do vosso trabalho será conhecido quinta-feira, dia 23, às 18 horas. Esperam uma Sala 2 lotada?

Segundo informações não oficiais a sala está praticamente lotada e, diz-se que, há a hipótese de uma outra sessão.

 

E aquelas pessoas que não possam vir ao Queer Lisboa 14, podem contar com outras transmissões?

Achamos mesmo que as pessoas devem fazer tudo por tudo para ir ao Queer, mas caso não consigam realmente ir, têm sempre a possibilidade de assistir à estreia do documentário: “Boys Just Wanna Have Fun” na RTP2, ainda sem data marcada.

 

Já segues o dezanove no Facebook?

 

A cobertura do dezanove do Queer Lisboa 14 aqui.

 

7 comentários

Comentar