Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

A (incrível) história da senadora que votou contra o casamento e agora está casada com outra mulher

miriam-blasco pp espanha.jpg

Miriam Blasco era senadora do Partido Popular espanhol quando, em 2005, votou contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Agora fez saber publicamente que está casada com outra mulher.

 

A revelação foi feita à TVE, a estação pública espanhola:

"Nicola é a pessoa mais importante neste momento da minha vida. Estamos juntas há 22 anos e casamos há um ano e pouco ".

Mas para além da vida política, Miriam agora com 53 anos de idade é conhecida pela sua carreira desportiva. Miriam ganhou uma medalha de ouro nos Jogos Olimpico de Barcelona em 1992 (judo feminino, categoria -56 kg.), contra Nicola Fairbrother, a atleta britânica que foi sua rival na final olímpica ... e com quem está a viver há já 22 anos.

E para compensar o que aconteceu na final olímpica, Miriam e Nicola decidiram que  no seu casamento trocariam os metais das suas alianças: a prata para Miriam e o ouro para a britânica.

Foi só após a carreira desportiva que Miriam Blasco enveredou na política. E foi no ano de 2005 que contribuiu com o seu veto à lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Na altura votaram contra a lei 131 senadores (incluindo Miriam Blasco) e 119 a favor. O veto foi levantado uma semana depois pelo congresso dos deputados.

Hoje passados doze anos cerca de 40 mil casais do mesmo sexo já casaram em Espanha. Mas recorde-se em 2005 o partido conservador tentou impedir a igualdade no acesso à lei do casamento, mas não só: também à adopção homoparental. E um desses 40 mil casais é precisamente Miriam Blasco e Nicola Fairbrother. Blasco, uma das 126 senadoras que a 22 de Junho de 2005, e quando a sua companheira já era uma mulher, votou contra a lei que hoje as torna cidadãs com os mesmos direitos que qualquer outro casal. 

 

Publicidade

 

 

3 comentários

Comentar