Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

As fotos do Orgulho LGBTI de Madrid

IMG_5635.JPG

Os 40 anos do Orgulho LGBTI de Madrid foram celebrados com mais de 700 mil pessoas nas ruas da capital espanhola.

Sob o lema "Conquistando a igualdad, TRANSformando a sociedade", espanhóis e turistas marcharam no passado dia 7 de Julho para exigir direitos para a população transexual e assinalar o caminho que falta percorrer para alcançar igualdade plena de direitos da população LGTBI na esfera laboral e social.

Vestidos com a emblemática bandeira do arco-íris e ao ritmo de canções simbólicas como “A quien le importa” ou “Sobreviviré” os manifestantes dançaram e proferiram diferentes slogans a favor da igualdade de direitos: "Contra a transfobia social, educação em igualdade", "A minha família é mais fixe porque tenho um filho trans" ou "Não importa o que tenho no meio das pernas”. Fizeram-se também ouvir exigências a favor da gestação de substituição, pela proteção de crianças transexuais, por medidas governativas para fazer frente ao VIH e por uma lei de auto-determinação de género.

Depois da parte mais reivindicativa, chegou a parte do desfile dos carros alegóricos, com dança, música e entretenimento. Para garantir a segurança foram destacados cerca de mil polícias nacionais, agentes da Polícia Municipal e equipas de emergência.

Pela primeira vez em 40 anos dois ministros estiveram presentes na Marcha do Orgulho LGBT de Madrid. A saber: o Ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska, e a Ministra da Saúde, Carmen Montón. Estiveram também presentes representantes de vários partidos: PSOE, Ciudadanos e Podemos, bem como secretários-gerais dos braços sindicais espanhóis.

Devido ao veto dos organizadores da manifestação ao Partido Popular como uma "medida de pressão" por este partido ter vetado duas leis relacionadas com a população LGTBI, os políticos deste partido fizeram-se representar a título individual. Foi o caso do vereador Jaime de los Santos, titular da pasta de Cultura, Turismo e Desporto da Comunidade de Madrid, que fez questão de afirmar que o veto a seu partido "traz de volta tempos piores" e que "o importante é que 365 dias por ano lutamos para implementar as leis aprovadas há dois anos a favor dos direitos das pessoas LGTBI ".

 

Vê aqui o álbum de fotos e vídeos dos 40 Anos do Orgulho LGBTI de Madrid