Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Embaixada dos EUA em Portugal assinala o mês do Orgulho LGBT, mas há quem não goste

Emb USA portugal LGBT.jpg

Nos Estados Unidos os organismos públicos, a começar pela Casa Branca, assinalam há pelo menos seis anos o mês do Orgulho LGBT. Barack Obama foi o primeiro Presidente dos EUA a fazê-lo: Em 2011 o presidente Obama declarava "em Junho comemoramos a coragem dos indivíduos que lutaram pelos direitos da comunidade LGBT norte-americana, e dedicamo-nos novamente à luta pela igualdade para todos, independentemente da orientação sexual ou identidade de género.”

Seguindo esta tradição várias embaixadas dos EUA espalhadas pelo mundo de Espanha a Israel, passando pelo Brasil, assinalam este mês e, também, outras datas como o Dia Internacional de Luta Contra a Homofobia e Transfobia. 

Embaixada dos EUA em Portugal.jpg

 

Desde o início do mês de Junho, a página do Facebook da Embaixada dos Estados Unidos em Portugal já publicou sete artigos ou imagens com temática LGBT. Os posts em causa visam alertar para a violência que afecta as pessoas LGBT no mundo, assinalar a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo, recordar o fim da criminalização da homossexualidade em Portugal ou, por exemplo, explicar o que significa a sigla LGBTI.

Na página os comentários dos seguidores dividem-se entre o apoio pela tomada de posição da Embaixada e a estupefacção. 

Um dos posts da Embaixada dos EUA em Portugal levou Tomás Cabral Anunciação a comentar no Facebook: "isto mais parece uma página do lóbi gay, nao ha ninguem na embaixada que se preocupe cm este disparate?" (sic).

 

Mês Orgulho LGBT Embaixada dos EUA em Portugal.jpBruno Rebola, utilizador da rede social comenta: "Deviam era impedir que pessoas escrevessem com tantos erros ortográficos, isso sim! Deviam impedir também que as pessoas andassem a meter o nariz na vida dos outros. Já agora, se vissem melhor o seu papel enquanto pessoa, e pelo bem ou mal do próximo, e o que causa ao mundo, isso sim era de valor. Agora se casam com homem ou mulher, isso é com cada qual. Direitos e deveres iguais para todos. Viva e deixe viver, e sobretudo não chatei[e]. Por último, se não gostar de gente que se casa com alguém do mesmo sexo, é fácil, NÃO VÁ AO CASAMENTO!"

 

3 comentários

Comentar