Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Foram estes os premiados no Queer Lisboa 2017

 

queer.jpg


O Prémio para a Melhor Longa-Metragem da edição de 2017 do Queer Lisboa foi atribuído à longa-metragem “Los Objetos Amorosos” (Espanha, 2016) de Adrián Silvestre. Segundo o júri, trata-se de “um exercício de realização intenso e arriscado. Um mergulho que parece não ter medo de falhar. Uma viagem que transforma o espectador num objecto, tal como as personagens, entre a ficção e o documental, a raiva e o amor”.

O júri decidiu dar o prémio de Melhor Actriz a Laura Rojas Godoy e a Nicole Costa pelas suas interpretações em “Los Objetos Amorosos”. Já o prémio de Melhor Actor foi para Owen Campbell, pela sua interpretação em “As You Are” (EUA, 2016), realizado por Miles Joris-Peyrafitte.
Houve ainda uma Menção Especial a “Corpo Elétrico” (Brasil, 2016), realizado por Marcelo Caetano. Para o Prémio do Público da Competição de Longas-Metragens, o público do Queer Lisboa 21 premiou “Close-Knit” (Japão, 2017), de Naoko Ogigami
O Júri da Competição de Documentários decidiu atribuir o Prémio de Melhor Documentário ao filme “Small Talk” (Taiwan, 2016), realizado por Hui-Chen Huang. Houve uma Menção Especial para “Vivir Y Otras Ficciones” (Espanha, 2016), realizado por Jo Sol. No Prémio do Público da Competição de Documentários, o filme distinguido foi “Entre os Homens de Bem” (Brasil, 2016), realizado por Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros.
O Júri da Competição de Curtas-Metragens entregou o Prémio de Melhor Curta-Metragem ao filme “Les Îles “(França, 2017), realizado por Yann Gonzalez. O mesmo júri atribuiu uma Menção Especial a “Coelho Mau” (Portugal, França, 2017), realizado por Carlos Conceição.
Na Competição In My Shorts o Prémio de Melhor Filme de Escola foi para a curta-metragem “Étage X” (Alemanha, 2016), de Francy Fabritz. Foram ainda atribuídas duas Menções Especiais: “Loris Sta Bene” (Itália, 2017), de Simone Bozzelli, e “Rute” (Portugal, 2017), de Ricardo Branco.
Na Competição Queer Art o Prémio de Melhor Filme Queer Art foi para “Occidental” (França, 2017), realizado por Neïl Beloufa. Houve ainda uma Menção Especial para “A Destruição de Bernardet” (Brasil, 2016), realizado por Claudia Priscilla e Pedro Marques. O festival regressa em 2018 entre os dias 14 e 22 de Setembro.

 

Foto: Queer Lisboa

 

 

Publicidade: