Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Há testes de detecção do VIH para quem esteja a tomar antiretrovirais?

Teste VIH detecção.jpg

‪#‎AskOurNurse‬ é a nova rubrica do dezanove.pt. Lançámos o desafio aos nossos leitores no Facebook: "O nosso Enfermeiro Carlos Gustavo Martins quer dar resposta às tuas perguntas e dúvidas sobre temas de saúde e sexualidade". A primeira questão chegou e a resposta já foi dada. Fica a par aqui:

 

Questão

Boa tarde,

Há casos raros de pessoas seropositivas que curaram. Neste caso, uma pessoa que toma antiretrovirais não pode fazer o teste porque este será sempre positivo em reacção a medicação que toma mesmo se já não for seropositivo, certo?
Existe algum teste que se possa fazer para quem esteja a ser medicado e que tenha a dúvida de estar realmente contaminado?

Agradeço desde já a sua ajuda e resposta,

Cumprimentos,

(leitor prefere não ser identificado)

 

Enfermeiro Carlos Gustavo Martins.jpg

Resposta

Olá leitor,

Obrigado por nos confiar a sua dúvida.

Parece-me, no entanto, que há alguma confusão acerca do assunto terapêutica, seropositividade, seronegatividade e cura. Mas o objectivo é mesmo esse: ajudá-lo a ficar mais esclarecido. Assim:

Nos casos que existem de cura temos de ter em atenção o seguinte e apenas o seguinte: a "cura" deveu-se a uma mutação genética que impede a replicação do vírus, tornando estas pessoas naturalmente imunes ao vírus. Assim, em vez de o vírus se replicar, fica "integrado" no material celular nunca se desenvolvendo. Não foi por medicação que esta "cura" aconteceu. 

A seropositividade existe, mesmo que o vírus se mantenha indetectável nas análises que faz. Isso apenas significa que o número de cópias do vírus por milímetro cúbico está abaixo do limite de detecção. Não significa que se esteja curado.

Da mesma forma, seronegatividade apenas é aplicado a quem nunca tenha tido um teste positivo. Quem tenha sido diagnosticado positivo, mesmo estando indetectável, mantém o seu estado serológico.

Os testes efectuados procuram o vírus, e como tal, não reagem à medicação tomada pelo indivíduo. Mesmo que alguma medicação possa dificultar a detecção ou originar falsos positivos, existem sempre outros testes, com sensibilidades diferentes, que são usados.

Espero portanto ter respondido à sua primeira pergunta.

Quanto à segunda pergunta: se existem dúvidas acerca do estado serológico, deve dizer isso mesmo ao médico. Existindo dúvidas razoáveis, com certeza podem e devem ser repetidos testes diferentes, com sensibilidades diferentes que confirmem ou não o diagnóstico.

Não se deverá nunca, por auto-recriação, recorrer aos CAD quando se é seguido em consulta de infecciologia ou parar a medicação por auto-recriação. Isso apenas trará mais confusão (pelo referido anteriormente quanto ao limite de detecção), e consequências para a saúde com o inevitável aumento da carga viral.

 

Recomendo ao leitor, que se lhe surgirem mais perguntas ou as dúvidas se mantiverem, que nos faça chegar essas mesmas dúvidas ou que visite um CAD (Centros de Aconselhamento e Detecção Precoce do VIH) ou Checkpoint Lx. A equipa estará disponível para o esclarecer de forma totalmente anónima e sem quaisquer julgamentos.

 

Enfº Carlos Gustavo Martins

 

 

Durante algumas semanas estamos disponíveis para receber as tuas questões e dúvidas. A tua identidade será, se assim preferires, salvaguardada. Sempre que existirem, as perguntas seleccionadas serão respondidas no espaço de crónica do nosso Enfermeiro aos Domingos aqui no dezanove.pt.

Envia a tua pergunta, dúvida ou tema para dezanovept@gmail.com

Queremos ajudar a esclarecer sobre questões de saúde. Ajuda-nos também a ajudar!

1 comentário

Comentar