Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Homossexuais: A maioria não doa sangue. 10 por cento tentaram e foram impedidos

infografia dádivas de sangue por homo e bissexuais masculinos

Um inquérito online levado a cabo junto dos leitores do site dezanove.pt  entre 15 de Maio e 11 de Julho mostra que a maioria dos homossexuais masculinos não faz dádivas de sangue. Os resultados são agora divulgados.

Dos mais de 1200 inquiridos mais de 79 por cento não doa sangue. Esta percentagem é detalhada seguir:

Mais de 44 por cento dos leitores responde simplesmente que não doa sangue.

Seguem-se 14 por cento que não podem doar sangue devido a alguma questão de saúde.

11 por cento dos inquiridos afirma não doar sangue por sentir desconforto se for confrontado com a sua orientação sexual.

A rematar estão 10,54 por cento dos inquiridos que viram recusada a dávida de sangue em razão da sua orientação sexual. Esta percentagem traduz-se em 130 casos de discriminação imediata.

Apenas 21 por cento dos que leitores que acederam responder ao inquérito doa sangue. Deste número 14,27 por cento doa sangue, mas omite a orientação sexual. E apenas 6 por cento doa sangue sem omitir a sua orientação sexual.

Participaram no inquérito do site dezanove.pt um total de 1233 leitores.

inquérito sangue.jpg

A polémica da discriminação no acesso dos homossexuais e bissexuais masculinos às dávidas estalou em Abril quando Hélder Trindade, presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, assumiu publicamente a discriminação: "O contacto sexual de homens com outros homens é definido como factor de risco" e é critério de exclusão para a dávida de sangue.

Esta semana foi conhecida a notícia que o Grupo de Trabalho do Ministério da Saúde, que estuda a reavaliação dos critérios das dádivas de sangue, deverá alargar estas dádivas aos homens homossexuais e bissexuais, desconhecendo-se ainda em que condições.

 

Paulo Monteiro