Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Acompanha aqui o #orgulho2017

Menino adoptado por casal homossexual diz ser “a criança mais feliz do mundo”

Pequeno João 2.png

Numa escola pública, localizada em Ferraz de Vasconcelos, um munícipio brasileiro do estado de São Paulo, uma professora pediu aos seus alunos que fizessem uma composição sobre como seria a vida do menino mais feliz do mundo. Não havia limites para o que poderia ser descrito. Poderia ser uma criança que tivesse super-poderes ou outra qualquer particularidade. Foi deste modo que o pequeneno João, de apenas 11 anos, escreveu sobre ele mesmo.

Depois de viver num orfanato durante um ano e meio, João Vítor foi adoptado por Fernando Luiz e pelo seu companheiro Marcelo Pereira. O casal conheceu-o a 9 de Fevereiro de 2016 quando este tinha ainda 10 anos de idade. Apesar da criança não se adaptar ao perfil traçado, pois ambos procuravam crianças até aos 8 anos, uma conversa com a assistente social fê-los mudar de ideias e lá aceitaram conhecê-lo.

“Ele é órfão de pai. A mãe é viva, mas é usuária de drogas. Nenhum dos sete irmãos adultos que ele tem quis assumi-lo. Ele chegou a dormir na rua, até que uma vizinha chamou o conselho tutelar. Então ficámos emocionados com a história dele e percebemos que ele queria carinho”, contou Marcelo.

Fernando e Marcelo estavam com receio que João não aceitasse ter dois pais. Mas a reação da criança os surpreendeu. “Vimos que o preconceito era nosso. Ele foi muito receptivo. A psicóloga explicou-lhe que existem várias configurações de família para além da tradicional, isto é, com um pai só, com uma mãe só, com dois pais, duas mães... E ele aceitou na hora”, relatou Marcelo.

No entanto, no orfanato, João sentiu preconceito por parte das crianças durante o processo de adopção, que lhe faziam imensas perguntas, como por exemplo, quem era a mãe. Ele respondia que “ia ter dois pais homens e que o que realmente importava era que iam cuidar dele.”

“Ele faz questão de contar para todo mundo que tem dois pais”, diz Marcelo. Depois de conhecer a criança, as visitas do casal ao orfanato passaram a ser mais frequentes. O João começou por passar o fim-de-semana na casa de Fernando e Marcelo e, um mês depois, os dois conseguiram a guarda da criança. “Foi rápido, gostámos muito dele. Ele era quieto, triste e calado, mas mostrava que queria ficar connosco. Chorava quando o devolvíamos para o orfanato. Hoje, preciso pedir para ele parar de falar. Foi uma transformação muito grande, ele mudou totalmente”, contou o casal.

Pequeno João 1.png

Ainda em 2016, João foi matriculado numa escola pública, considerada pela sua nova família como a melhor instituição de ensino da região. Os pais do menino contam que explicaram pessoalmente à coordenação do colégio a história do João. Ele foi bem recebido e conseguiu adaptar-se, mesmo com a desvantagem de conhecimentos que tinha em relação aos colegas da mesma idade. Foi então aí, a pedido da sua professora, que o pequeno João, dentro do tema proposto, escreveu a sua composição e que podes ler de seguida na íntegra:

 

 “Uma vez eu morava só com meu pai, e um dia ele morreu e ninguém me quis, daí eu fui morar num orfanato. Passou muito tempo eu conheci dois pais homem que gostaram de mim eles me adoptaram e partir desse dia eu me fiquei muito feliz. Eu amo muito esse dia,nesse dia que conheci eles estou vivendo muito bem, muito feliz com eles, eles me amam e eu amo eles.

Nós brincamos nos divertimos, sentimos dor e choramos juntos, e nós três somos felizes e amamos uns aos outros. Eu sou adoptado eu não tenho vergonha e amo muito eles e minha outra família que eu tinha não me amava e eu era triste, mas essa família eu sinto que me ama e eu vou dar muito valor a ela, porque eu amo muito ela.

O menino mais feliz do mundo se chama João. O João sou eu.
De João para meus dois pais homens que eu amo muito."

 

Emocionados, publicaram a composição no Facebook e, para além de ter recebido mais de 37 mil gostos, foi compartilhada mais de 10 mil vezes. Fernando soube do texto junto com o companheiro, após João perguntar “se a lição tinha ficado boa”.  

O casal quer dar três irmãos a João e já iniciou o respectivo processo de adopção. O João está encantado, porque diz que, “sempre quis ter um irmão por perto”. Para além disso este casal deixa ainda um apelo: “Adoptem crianças mais velhas, acima de quatro anos. Em geral, o interesse maior é pelos bebés. O João tinha muito medo. Via os bebés indo embora do orfanato e ele não. Rezava toda noite para ter alguém que o levasse dali”.

 

Fonte e imagem: g1.globo.com

Carlos Simões

Publicidade