Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

MOTELX onde os filmes de terror LGBTI continuam a ser muito bem-vindos

motel.jpg

 

Tenham medo, muito medo. Saiam dos armários e agarrem-se às cadeiras das salas do Cinema S. Jorge e do Teatro Tivoli BBVA. Setembro é o mês do terror em Lisboa e o MOTELX está aí. Esta é já a 11.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa. De 5 a 10 deste mês o terror é bem-vindo. E, mais uma vez podemos ver filmes de terror onde são abordados assuntos LGBTI. Ei-los:

 

 

“La Región salvaje” (“The Untamed”, 2016, México, Dinamarca, França, Alemanha, Noruega e Suíça), de Amat Escalante
Serviço de Quarto
Uma jovem dona de casa vive com os dois filhos e o marido numa pequena cidade mexicana onde vive também o seu irmão. As suas vidas são perturbadas pela chegada de uma misteriosa mulher que lhes fala da existência de uma cabana isolada nos bosques, onde se encontra algo misterioso e com propriedades milagrosas...
Quinta-feira, 7 de Setembro 2017, às 16h40, Sala Manoel de Oliveira, Cinema São Jorge.

 

 

“Rökkur” (“Rift”, 2017, Islândia), de Erlingur Óttar Thoroddsen

Competição Prémio Melhor Longa de Terror Europeia / Méliès d'Argent
Gunnar mete-se no carro e vai ao encontro da casa isolada onde Einar, o ex-namorado, se refugiou após o fim do relacionamento. Ao reencontrá-lo, depressa se apercebe de que algo de mais sério se passa. Enquanto os dois homens tentam remediar a relação, um estranho parece estar a rondar a casa, com vontade de entrar...
Lê também a entrevista que o dezanove fez a Erlingur Thoroddsen.
Quinta-feira, 7 de Setembro, às 21h35, Sala 3, do Cinema São Jorge e Sexta-feira, 8, às 16h45, na mesma Sala. O realizador marcará presença em ambas as sessões do filme.

 

“Bodom” (“Lake Bodom”, 2016, Finlândia e Estónia), de Taneli Mustonen

Competição Prémio Melhor Longa de Terror Europeia / Méliès d'Argent
Em 1960, o pior pesadelo de qualquer campista tornou-se realidade quando quatro adolescentes foram esfaqueados enquanto dormiam nas suas tendas. Com o tempo, o crime tornou-se lenda urbana. Agora, um grupo de adolescentes instala-se no mesmo acampamento na esperança de resolver o mistério, reconstruindo o crime detalhadamente.
Sexta-feira, 8 de Setembro, às 19h10, Sala Manoel de Oliveira, do Cinema São Jorge e Sábado, 9, às 21h40, Sala 3. Está prevista a presença do realizador em ambas as sessões do filme.

 

 

Luís Veríssimo