Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Museu dos ABBA recebe exposição da Eurovisão

 ABBA.jpg

O tempo está bom em Estocolmo, o sol brilha e as temperaturas estão estranhamente altas para esta altura do ano. As pessoas estão na rua e as esplanadas estão cheias. Maio, é o mês da Eurovisão.

O dezanove.pt visitou o Museu dos ABBA, não só para ver a exposição sobre o famoso grupo dos anos 70, mas também a propósito da nova exposição sobre a Eurovisão inaugurada este Sábado.

 Museu dos ABBA.jpgO museu é um autêntico paraíso para fãs dos ABBA. Tem tudo o que se possa imaginar sobre o grupo: desde a vitória em Brighton, em 1974, até ao presente. Tudo é original: cartazes e discos de vinil e até os trajes iconográficos da vitória no festival da Eurovisão. O museu relata-se também a vida pessoal e evolução da carreira de cada um dos elementos do grupo ABBA: Agnetha, Frida, Benny e Björn.

No fim da exibição ABBA, encontra-se uma exposição sobre a indústria musical sueca: desde a invenção da rádio até aos dias de hoje, sem esquecer o contributo LGBT para a música sueca e mundial, por parte de artistas e fãs, como é o exemplo de Leila K., artista sueca dos anos 90.

Leila K.JPG

Legenda da exposição termina com a frase: “Todas as noites, uma discoteca gay algures pelo mundo ainda toca músicas de Leila K.”

Para quem gosta muito dos ABBA, o dezanove.pt limita-se à explicação descrita neste artigo para manter o suspense. É aconselhável visitar este museu se planeias fazer uma visita a Estocolmo.

 

Exposição Eurovisão

Relativamente à exposição temporária; o lema é o icónico “Good Evening Europe” (Boa noite, Europa) a frase que abre o festival todos os anos.

Lordi, Finlândia, vencedores da Eurovisão 2005Semelhante à exibição permanente dos ABBA, a exibição temporária também relata um pouco da história da Eurovisão ao longo dos anos.

À entrada, consta uma réplica algo assustadora do cantor principal dos Lordi (Finlândia), vencedores em 2005, deixando os visitantes em dúvida se esta é uma exibição sobre a Eurovisão ou uma casa de terror.

Incluído na exibição está igualmente um jogo trivia sobre o evento e alguns trajes originais das estrelas, como é o caso do vestido de Conchita Wurst, Áustria, vencedora em 2014, Verka Seduchka, Ucrânia, 2007 (segundo lugar) e Johanna, Islândia, 2009 (segundo lugar).

Vestido de Conchita Wurst, usado na noite em que venceu em 2014, e de Verka Seduchka

Sente-se o orgulho dos Suecos em serem os anfitriões da Eurovisão pela segunda vez em menos de cinco anos. Em 2013 decorreu em Malmo, no sul da suécia. Daí o destaque do festival num museu tão icónico e ao mesmo tempo relevante porque foi a Eurovisão que lançou a carreira dos ABBA em 1974. 

 

Acompanha o festival da Eurovisão ao longo desta semana no Facebook do dezanove e o álbum fotográfico aqui

 

Ricardo Duarte em Estocolmo