Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

"Não posso estar sempre a chamar a polícia sempre que sou insultado na rua" (com vídeo)

Cristina e João trans A tarde é sua tvi fátima

Uma mãe e um jovem trans mostraram na televisão os piores efeitos da transfobia no país real. Fátima Lopes recebeu esta quarta-feira no programa "A Tarde é Sua" (TVI) uma família de Barcelos. Mãe e filho, que se identifica neste momento como João, partilharam bastantes momentos emotivos e mostraram como ainda é duro ser transexual especialmente fora dos grandes centros urbanos. Ambos já foram vítimas de várias agressões, apresentaram queixas nas autoridades e foram obrigados a mudar de vida para poderem viver sem violência.

Desde a escola primária que João foi alvo de insultos verbais. Ao crescer e ao mudar de escola a discriminação aumentou. Apesar de algumas intervenções dos professores, o bullying continuava. João, actualmente com 18 anos, passou por vários episódios de violência, nomeadamente ao ser agredido nas casas de banhos e no meio da rua. O jovem passou por depressões, o que o levou a internamentos no hospital.

O acompanhamento médico e uma carta a uma psicóloga foram decisivos para este jovem trans admitir e iniciar a sua transição de género no Hospital Magalhães Lemos, no Porto.

Não foi apenas João a ser alvo de bullying transfóbico continuado. A mãe, que o apoiou desde sempre, também foi alvo de violência física inclusive por parte de pessoas conhecidas. Toda a pressão em torno deste caso levou a própria mãe a tentar o suicídio.

Nas situações mais graves foram apresentadas queixas em tribunal e na polícia. João desabafou na TVI: "Não posso estar sempre a chamar a polícia sempre que sou insultado na rua". Para evitar o bullying, João teve de abandonar a cidade onde vivia e foi viver para uma aldeia onde se refugia em casa. Apesar de ter notas suficientes e meios financeiros para ingressar no ensino superior, este jovem teve receio de dar esse passo por temer novamente ser alvo de bullying.

Apesar dos vários aspectos negativos mencionados, João também falou dos seus sonhos e de ser a mulher que sempre idealizou. Ao seu lado esteve sempre a mãe: "Mesmo que não o entendesse estaria ao seu lado de qualquer maneira",  declara.

 

Assiste ao excerto do programa da TVI aqui:

Créditos do vídeo: Plataforma "Traveca Like's 2"

 

Publicidade: 

8 comentários

Comentar