Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

O próximo IndieLisboa vai ter muito bondage

docs.jpg

O festival de cinema IndieLisboa 2015 vai apresentar 12 documentários do realizador alemão Jan Soldat. Nos seus filmes cruzam-se figuras verdadeiras (e personagens encarnadas por elas) no campo da maior liberdade humana: a da encarnação dos desejos e jogos sexuais mais íntimos (e proibidos) aos olhos da sociedade.

O trabalho de Jan Soldat também expõe a atracção pela reprodução de jogos autoritários (e da presença dos seus símbolos e linguagem) na esfera do prazer físico, seja no espaço pessoal de um quarto, de uma casa, como na reprodução de um sistema prisional onde vivem encarcerados e submissos, entregues ao poder de uma hierarquia política, familiar ou militar.

Os filmes poderão ser vistos em três sessões, com a presença de Jan Soldat, nos dias 26, 27 e 28 de Abril no Cinema São Jorge e no Cinema Ideal.

Na primeira sessão “In/Out”, “Wielandstrasse 20”, “3.Og Links, A Weekend in Germany”, “Vacation, Finally”, “The Sixth Season” e “Respectively”, será apresentado  o automatismo de uma relação sexual, o prazer físico entre um corpo jovem e um corpo velho, um domingo normal e sadomasoquista numa casa alemã, os dias passados numa cela BDSM e os espaços íntimos de cada família.

Na segunda sessão, os filmes “Be Loved”, “Law And Order”, “The Incomplete” e “Hotel Straussberg”, focam o domínio da zoofilia, o processo e as regras do prazer sado-masoquista, a escravidão voluntária e as celas e os corredores de uma prisão de tons militares, destinada à bondage.

Na terceira sessão dos filmes da retrospectiva, os filmes “Prison System 4614” e “The Visit” consistem em dois registos opostos: no primeiro entramos numa prisão de tortura sexual, no segundo, a visita é feita através dos passos de uma avó que visita as celas onde trabalha o seu neto.