Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

PrEParados ou não?

dezanove_carlosgustavomartins.jpg

Hoje, e mais uma vez, o tema que vos abordo é de longe consensual... Falo-vos de PrEP, abreviatura para profilaxia pré-exposição.

Em suma , trata-se de um comprimido que actualmente já é utilizado para tratamento de pessoas com VIH, mas que usado antes da infecção ocorrer pode prevenir até cerca de 92% a possibilidade de transmissão do vírus. Entenda-se que PODE prevenir e não a impede por completo. E não se trata de todo da cura. É, no entanto, um passo gigantesco pois reduzindo a transmissão, de alguma forma pode-se pensar no início do fim da pandemia.

Mas como sempre existem condições... o famoso "se" que acompanha sempre uma novidade deste tipo.

- A medicação tem de ser tomada consistentemente - foi provado que a eficácia deste método desce cerca de 50% quando não é tomada de forma consistente (todos os dias). Se pensarmos numa roleta russa, é como ter uma arma carregada apenas com uma bala ao invés de termos apenas uma câmara sem bala.

- Tem de cumprir os pressupostos de indicação para a toma de medicação, ou seja, pertencer a um dos grupos que está potencialmente em risco de contrair VIH.

- Ser acompanhado a cada 3 meses seja clinicamente (com exames complementares de diagnóstico), seja com ensino e reforço acerca do uso de preservativo e outros métodos de protecção.

- Ter sido testado negativo nos 3 meses anteriores ao início da medicação.

Mas aparte destas tecnicidades, o que vos trago para pensar é um pouco mais complexo...

Não irá este método levar à diminuição do uso de métodos de protecção? 

Não trará uma sensação de imunidade na relações ocasionais levando por isso a um retroceder de comportamentos?

E como serão as campanhas de prevenção de futuro? Deverão ter em consideração este método complementar?

São algumas das questões que me ocorrem quando penso na PrEP. 

Mas a pergunta mais importante deixo-a a si... devemos estar PrEParados ou não?

 

Como sempre, façam tudo mas façam seguro!

Enfermeiro Carlos Gustavo Martins

 

Fontes:

http://www.sermais.pt/content/default.asp?idcat=profilaxiaPreExposicao&idCatM=prevencao&idContent=C81F6379-7F6B-488E-B628-30BC88164FA4

http://www.cdc.gov/hiv/prevention/research/prep/

http://www.cdc.gov/hiv/pdf/PrEPguidelines2014.pdf

http://www.whatisprep.org/

3 comentários

Comentar