Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Quatro anos de dezanove.pt: a saber, a fazer, a cuidar, a ver e a praia 19

São quatro anos a acompanhar diariamente a actualidade LGBT nacional e internacional. Em Abril de 2010 nascia o dezanove.pt. Ao longo de quatro anos foram publicadas mais de 2300 notícias que geraram quatro mil comentários no site e muitos mais milhares no Facebook. O dezanove dinamiza a temática LGBT nas principais redes sociais. Somados os seguidores no Facebook, Twitter e YouTube são mais de 12 mil pessoas que diariamente estão em cima do acontecimento.

No último mês acederam ao dezanove.pt 111 mil pessoas e foram visualizadas 159.726 páginas. No último ano o site foi consultado 1,1 milhões de vezes em mais de 120 países. (fonte: Google Analytics).

 

Ao longo destes quatro anos acompanhamos todas as marchas do orgulho LGBT em Portugal: Lisboa, Porto, Coimbra, Ponta Delgada e Braga; o principal Festival de Cinema Queer do país; o Arraial Pride e entrevistámos os protagonistas da actualidade aquando da aprovação das leis que colocaram Portugal na dianteira dos Direitos Civis. Acompanhámos o nascimento de novos protagonistas e projectos como os Dark Horses, as Marchas de Braga e dos Açores, a associação das Mães e Pais AMPLOS, a série "Lx Menina e Moça", a pioneira SaunApolo 56, a primeira campanha contra o bullying nas escolas ou a mais recente websérie Barba Rija, ao mesmo tempo que demos destaque aos que já cimentaram raízes em Portugal.

 

Por mais de uma vez as primeiras mãos do dezanove.pt extravasam para a imprensa generalista. Assim foi com o casamento do primeiro político português com um homem e com outros vários exemplos. Houve até um programa do canal de televisão La Sexta de Espanha que fez referência ao dezanove.pt (infelizmente o vídeo já não está online).

 

O dezanove afere o que pensam os seus leitores. Nos últimos 36 meses, e ao longo de mais de três dezenas de inquéritos, analisamos temas como a promoção de Portugal como destino LGBT, se os homossexuais portugueses têm medo de mostrar afectos em público ou se já foram alvo de violência física ou psicológica.

 

É também através do dezanove que democratizamos o acesso à cultura LGBT. Em parceria com diversos festivais, produções teatrais e cinematográficas, já oferecemos centenas convites para espectáculos onde a temática LGBT está presente. O dezanove é parceiro oficial de mais de uma dúzia de festivais culturais.

 

Uma vez por ano os Prémios dezanove destacam aqueles que pelas melhores ou pelas piores razões marcaram o ano. Nomes como Ana Zanatti, Diogo Infante, Isabel Moreira ou Adolfo Mesquita Nunes fazem parte do rol que ajuda, pelas melhores razões, a escrever a história LGBT em Portugal. Já que se fala em prémios, o site foi já distinguido nos Prémios Média, atribuídos pela associação rede ex aequo.

 

Mas o dezanove também trouxe a lume temas menos consensuais: o primeiro filme porno gay português, a fricção entre a associação CASA e o Porto Pride, a entrevista a Fostter Riviera, o concerto de Sizzla em Portugal e os inúmeros artigos de opinião contra a comunidade LGBT em Portugal, de José António Saraiva a William H. Clode passando pelo artigo publicado no jornal da Sociedade Protectora dos Animais.

 

Em 2010 a primeira notícia publicada no dezanove fazia destaque da afirmação do então presidente da Câmara Municipal de Moscovo sobre Direitos Humanos. Quatro anos volvidos, a situação vivida por gays e lésbicas na Rússia tomou proporções que justificaram quase oito dezenas de artigos. Hoje como então, continuamos firmes em defender o artigo dezanove da Declaração Universal de Direitos Humanos: “Todo o ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão, mas também de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras.”

 

Obrigado a todos os leitores e colaboradores. Estamos todos de parabéns.

1 comentário

Comentar