Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Quatro perguntas ao Lorenzo e Pedro

Lorenzo e Pedro TVI.jpg

O casal Lorenzo e Pedro, conhecido por protagonizar os vídeos Sexy Funny Kitchen no Youtube, está sobre os holofotes dos média e também dos Portugueses depois de terem gravado um vídeo em que andavam de mãos dadas em Lisboa.  As reacções ao vídeo (positivas e negativas) fazem sentir-se nas redes sociais onde este fenómeno continua a dar que falar. Ambos estão determinados em que nada os vai fazer parar: “Temos um sonho de viver num país e talvez num mundo onde um casal que se ame, independentemente da sua orientação possa andar livremente e sem receios nas ruas da sua cidade”.

dezanove: Como reagiram aos milhares de comentários que surgiram após o vídeo lançado há uma semana?

Lorenzo e Pedro: A esmagadora maioria dos comentários foram positivos. E, mais do que isso, foram lindos de se ler. Também recebemos muitos e-mails a elogiar o vídeo que fizemos e a maneira como nos expusemos online, sem receio de consequências, porque afinal de contas Portugal é um país muito pequenino! Gostámos de ver tanta gente feliz pelas reacções que recebemos durante os três dias que filmámos em Lisboa e acima de tudo, indiretamente, contribuímos para a economia do País, porque milhares de turistas estão a marcar viagens para Lisboa, uns até já nos enviaram o comprovativo do bilhete!

 

E os negativos?

Como é lógico também existiram bastantes comentários negativos. Os negativos foram muito menos em número, mas foram muito agressivos e passaram um pouco a barreira da comunicação civilizada, desde telefonemas, a emails, a piratearem o nosso computador, a quererem chantagear-nos e até a virem a nossa casa fazerem um grafite com a palavra "GAY" e um smile com os olhos em cruz, que simboliza morto!

Também reparámos que uma grande parte dos grupos LGBT em Portugal receberam o nosso vídeo com descontentamento, dizendo que demonstrámos um vídeo que era mentira, que não traduzia a realidade e que Portugal é um país muito homofóbico. Foi pena as pessoas não terem percebido que o nosso vídeo simplesmente retratou a realidade que nós passamos durante três dias em Lisboa, desde o Rossio ao Chiado e à Cova da Moura nós sentimo-nos bem, respeitados e livres! E como é lógico não iriamos mentir, e foi essa a mensagem que decidimos passar. Temos a perfeita noção que existem muitas pessoas que são completamente contra a comunidade LGBT. 

 

Que sugestões dão para que as situações das pessoas LGBT em Portugal melhore?

Há algo que todos deveríamos pensar um pouco e começar a aplicar mais no nosso dia-a-dia. É no meio das dificuldades que se podem encontrar novas oportunidades, utilizar ferramentas positivas para modificar a nossa sociedade é a forma mais inteligente que possa existir, o amor e o positivismo são contagiante e têm poder para mudar o mundo.

Não devemos continuar a usar alguns métodos que temos usado para tentar acabar com a homofobia, como Einstein dizia, e citamos: " Insanidade é continuar sempre a fazer a mesma coisa e esperar resultados diferentes!"

Não somos ninguém, somos só um casal gay, que já sofreu bastante, mas muitos de vocês não sabem. Porque como dissemos continuar a referir os acontecimentos negativos não é a melhor solução. 

Gostávamos que mais pessoas em Portugal, que lutam para o mesmo fim que nós também lutamos, à nossa maneira, fossem mais compreensíveis e aceitassem a nossa diferença, como querem que os homofóbicos nos aceitem também!

É que não é mesmo cliché, que juntos somos muito mais fortes!

 

Vão mudar alguma coisa na vossa forma de actuar?

Nada nos vai fazer parar, porque somos lutadores e persistentes quando acreditamos em alguma coisa. Temos um sonho de viver num país e talvez num mundo onde um casal que se ame, independentemente da sua orientação possa andar livremente e sem receios nas ruas da sua cidade. Quanto mais nos atacarem mais nós iremos crescer, ganhar anticorpos e lutar com muito mais força. Nada nos vai afectar.

 

Paulo Monteiro