Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Queer Lisboa 20: Cinco obras em português (com trailers)

pedro filme queer lisboa.jpg

Na 20ª edição do Queer Lisboa há vários filmes falados em português. Já aqui falámos do cabo-verdiano e multipremiado “Tchindas” ou da cinematografia dedicada ao universo porno gay do realizador António da Silva - e que apresenta quatro curtas neste festival dedicadas aos homens brasileiros. Agora é a vez de destacar cinco películas faladas em português para ver ao longo dos próximos dias. 

 

1._traca.jpgTraça

“Traça” do portuense Miguel Bonneville introduz-nos a três histórias autobiográficas: Jean Marc Gaspard Itard, Marie Antoinette e Friedrich Nietzsche. Os três têm em comum um momento de devastação nas suas relações pessoais. Um momento de ruína que leva à reflexão. Compete para melhor curta. Pode ser vista:

18 de Setembro às 19h15, Cinema São Jorge, Sala 3,curta-metragem, de Miguel Bonneville, Portugal, 2016.

 

 

antes_o_tempo_nao_acabavaweb.jpg

Antes o Tempo Não Acabava

 Um filme passado na floresta da Amazónia e em várias línguas indígenas. A história retrata a necessidade de afirmação da identidade de Anderson, uma pessoa indígena. O filme confronta os rituais e tradições indígenas com a identidade de Anderson, durante a sua adolescência.

Rodado parcialmente em Manaus (Brasil) e realizado por Fábio Baldo e Sérgio Andrade concorre ao título de melhor longa deste festival. “Não é fácil de ver, mas é de ver” disse o Upcoming quando esta obra esteve no Festival de Berlim.

18 de Setembro às 19h30 e 19 de Setembro às 17h15, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira, longa-metragem, de Fábio Baldo e Sérgio Andrade, Brasil, Alemanha, 2016.

 

Waiting for B.jpgWaiting for B.

Quem nunca ouviu falar em ir cedo para a porta de um concerto para ficar com o melhor lugar possível? Bem, este grupinho bate todos os recordes: 57 dias de antecedência - com acampamento incluído – para ver B. Este B. é de Beyoncé. Concorre a melhor documentário e já passou por uma série de festivais. Chega ao Queer Lisboa dias:

20 de Setembro às 21h30, Sala 3, e 21 de Setembro às 19h30, Sala Manoel de Oliveira, Cinema São Jorge, longa metragem, de Abigail Spindel e Paulo Cesar Todelo, Brasil, 2015.

 

Pedro.jpg

Pedro

Uma curta que acontece depois de 8 anos de trabalho conjunto dos jovens realizadores portugueses André Santos e Marco Leão. “Pedro” integrou a programação do festival de Curtas de Vila do Conde. Conta com João Villas-Boas no elenco – só este facto uma excelente razão para não perder este trabalho. A ver:

21 de Setembro às 19h15, Cinema São Jorge, Sala 3, curta-metragem, de André Santos e Marco Leão, Portugal, 2016.

 

a-seita.jpg

A Seita

O ano 2040 é retratado com algum humor. A cidade de Recife, no Brasil, está deserta e em ruínas depois de ter sido abandonada pelos ricos, que migraram para as estações espaciais. O filho de uma dessas famílias ricas, aborrecido com a nova morada, regressa e começa a decorar a antiga casa, ao mesmo tempo que se envolve com vários homens, numa cidade onde agora existe uma seita secreta.

22 de Setembro, às 19h30 e 23 Setembro às 17h15, Cinema São Jorge, Sala Manoel de Oliveira, longa-metragem , de André Antônio, Brasil, 2015.

Paulo Monteiro