Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Queer Lisboa 20: Derek Jarman - cinco escolhas para ver na Cinemateca (com trailers)

derek-jarman-2.jpg

A retrospectiva “Jarman and the Last of England” é uma parte central da programação deste ano do Queer Lisboa. À vigésima edição o festival quis homenagear o cineasta britânico Derek Jarman (1942-1994). Tido como o génio do cinema queer, é sem dúvida um dos nomes maiores da sua história.

O seu trabalho serve de mote para uma reflexão sobre a cultura punk, pós-punk e o cinema experimental britânico. Ao todo serão exibidos mais de 40 títulos, entre longas e curtas-metragens, naquela que é uma das maiores e mais importantes mostras alguma vez dedicadas a Jarman em Portugal. Começa amanhã Sábado, 17 de Setembro, na Cinemateca Portuguesa e o dezanove.pt destaca cinco filmes.

 

jubilee-1.jpg

Jubilee

A segunda longa-metragem de Derek transporta a Rainha Isabel I (Jenny Runacre) no tempo, do ano de 1578 para 1978, onde ela é confrontada com o que se tornou o seu reino, em tempos gloriosos: a lei e a ordem foram corrompidas, os punks deambulam pelas ruas, a decadência e a desolação corroem o tecido básico da sociedade. Com um elenco que inclui nomes como Adam Ant e Toyah Willcox, esta é uma abordagem vívida a uma paisagem urbana pós-apocalíptica, repleta de violência gratuita, tornando “Jubilee” no derradeiro filme da era punk.

17 Setembro, 21h30, Cinemateca Portuguesa, Sala Dr. Félix Ribeiro, longa-metragem, de Derek Jarman, Reino Unido, 1978.

 

the-last-of-england-1 (1).jpg

Last Of England

Um dos filmes mais pessoais e inovadores de Jarman, “The Last of England” é uma visão devastadora da Inglaterra dos anos 80. Imagens de guerra e decadência urbana são intercaladas com os filmes caseiros da infância de Jarman, criando um filme que tanto tem de chocante como de belo e poético. O filme conta ainda com uma aclamada banda sonora, que inclui Diamanda Galás, Mayo Thompson, Andy Gill e Marianne Faithfull.

19 Setembro, 21h30, Cinemateca Portuguesa, Sala Dr. Félix Ribeiro, longa-metragem, de Derek Jarman, Reino Unido, 1987.

 

sebastian_wrap.jpg

Sebastian Wrap

Filme experimental no qual os homens são banhados pela luz. Esta curta-metragem foi realizada no set do filme “Sebastiane” (1976), no final da rodagem e com a presença de vários membros do elenco. A luz nunca foi tão bela e os homens também não.

20 Setembro, 19h, Cinemateca Portuguesa, Sala Dr. Félix Ribeiro, curta-metragem, de Derek Jarman, Reino Unido, 1975.

 

Edward-II-3.jpg

 

Edward II

O recém-coroado Rei Eduardo II (Steven Waddington) chama a si o seu predileto, Piers Gaveston (Andrew Tiernan), distinguindo-o com vários títulos nobres e honras, entregando-se a uma vida de prazeres e desprendimentos. Ao negligenciar a sua mulher, Isabella (Tilda Swinton), e as responsabilidades que tem com o Estado, este par imprudente rapidamente cria inimigos poderosos. Atormentada pelo ciúme, Isabella junta-se ao indignado Mortimer (Nigel Terry) de forma a enviarem Gaveston para o exílio. Não há nada que Eduardo possa fazer para resistir. Filme sobre amor, ódio e poder.

23 Setembro, 21h30, Cinemateca Portuguesa, Sala Dr. Félix Ribeiro, longa-metragem, de Derek Jarman, Reino Unido, 1991.

 

Blue-1.jpg

Blue

A vida pode ser contemplativa e a morte também. Este filme é uma montagem de poesia e música enquanto Derek Jarman medita sobre metafísica e morte na sua contemplação da cor azul e da sua própria experiência de viver com SIDA. O azul é a plenitude, a paz na hora de se morrer.

24 Setembro, 19h, Cinemateca Portuguesa, Sala Dr. Félix Ribeiro, longa-metragem, de Derek Jarman, Reino Unido e Japão, 1993.

 

Escolhas de: Paulo Alexandre Pereira

Texto de: Luís Veríssimo