Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

O que uma Câmara de Comércio LGBT pode fazer para promover os negócios

CCLGBTCO Colombia LGBT Felipe Andres Vazquez.jpg

As Câmaras de Comércio LGBT existem maioritariamente no continente americano com o objectivo, entre outros, de dinamizar os negócios dando formação e know-how aos comerciantes que vocacionam os seus negócios para o segmento LGBT. Em Portugal não existe nenhum organismo do género que congregue os empresários que apostam neste mercado. No Brasil a primeira Câmara de Comércio LGBT começa agora a dar os primeiros passos, depois de uma outra tentativa cancelada em 2009.

O que ficariam os empresários e a população LGBT em geral a ganhar com a existência de uma câmara deste género? O dezanove.pt foi falar com o presidente e o vice-presidente da Câmara de Comércio LGBT da Colômbia (CCLGBTCO) para saber mais sobre esta iniciativa criada há dois anos e meio em Bogotá.

 

 

Espanha: Mulher transexual morta a golpes de martelo e navalha

Desferida por golpes de martelo na cabeça e de navalha, enterrada e queimada pela cal Astrid Carolina López Ceice, foi encontrada esta semana, 20 dias depois do seu desaparecimento, no quintal do já confesso assassino. Raúl Vega Carvajal entregou-se numa esquadra de polícia: “Senhor agente, matei um travesti”.

 

E a vencedora é… Miss Coreia do Sul

A representante sul-coreana, apenas conhecida pelo seu nome artístico Mini, foi coroada na passada sexta-feira Miss International Queen. A sexta edição deste concurso decorreu em Pattaya, na Tailândia.O concurso Miss International Queen dirige-se apenas a transgéneros e travestis, e pretende sensibilizar e criar laços entre a comunidade LGBT internacional.

Mini, que preferiu não revelar o seu verdadeiro nome, pois a maioria dos seus amigos e familiares não tinham conhecimento da sua participação neste concurso, declarou que a sua vitória era dedicada a todos os transgéneros e transexuais que ainda não são aceites pela sociedade.

Além da coroa e de dez mil dólares, Mini também ganhou o prémio para o Melhor Traje, pelo seu hanbok vermelho e preto (vestido tradicional da Coreia).

Entre as distinguidas da noite destacaram-se Miss Japão (Miss Fotogenia); Miss Colômbia, conhecida apenas por Melania (Melhor Talento); Miss Tailândia, Nalada Thamthanakorn (Melhor Vestido de Noite); Miss Suécia, Alexandra (Miss Pele Perfeita) e a Miss França, Stella Rocha (Miss Simpatia).

Esta foi a primeira vez que a Coreia do Sul venceu o concurso Miss International Queen. A primeira e segunda damas-de-honor foram, respectivamente, Aini Takeuchi (Japão) e Stasha Sanchez (EUA). Participaram 21 concorrentes. Portugal não esteve representado.

 

Lúcia Vieira

 

Já segues o dezanove no Facebook?