Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Porquê marchar?

samuel.png

Quando vim estudar para Lisboa, há 10 anos, integrar a Marcha do Orgulho LGBTI+ já fazia parte dos meus objectivos, mas acabei por nunca o fazer nos tempos de faculdade, essencialmente por medo de ser fotografado, filmado ou visto por alguém que fosse contar à minha família (na altura ainda não tinha falado com os meus pais), apesar de ter amigas na turma que prometiam vir comigo, caso eu decidisse participar, para me darem apoio.

 

 

Cabo Verde é o segundo país lusófono a integrar Equal Rights Coalition

foto CV.jpg

Cabo Verde passou a integrar o grupo de países da Equal Rights Coalition. A adesão foi formalizada pela presidente do Instituto Cabo-Verdiano para a Igualdade e Equidade de Género, Rosana Almeida (na foto).

 

 

 

Afirmação LGBTQI

Samuel Pimenta.png

Há dias recebi uma mensagem de um leitor, do Brasil. Escreveu-me um longo texto, dizendo-me que vai acompanhando o meu percurso, que lê os poemas e artigos publicados aqui e acolá. E agradeceu-me. Não só pelos escritos, mas sobretudo por um vídeo em que apareço a discursar no encontro «Portugal, quem és tu?» — organizado pelo Fernando Alvim, em Janeiro de 2015, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa –, onde abordo a questão do bullying homofóbico de que fui alvo até aos 18 anos.

 

 

62% dos australianos votaram sim ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Mas ainda não se pode comemorar

 casamento gay australia.jpg

Os resultados de uma consulta inédita levada a cabo na Austrália, e cujos resultados acabaram de ser divulgados há instantes (10 da manhã em Camberra; 23 horas em Lisboa) evidenciam que 61,6% dos australianos concordam com o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Associação moçambicana Lambda luta há uma década pela legalização. Está mais perto de o conseguir

moz.jpg

O Conselho Constitucional de Moçambique, instituição equivalente ao português Tribunal Constitucional, declarou inconstitucional uma cláusula na Lei das Associações que tem sido usada como argumento pelo governo moçambicano para impedir o registo da associação LGBT Lambda.